publicidade

Índice de Preços ao Produtor sobe em novembro, invertendo queda de outubro

Variação de novembro registrou 0,62%; em outubro o recuo foi de 0,45%. O indicador mede a variação dos preços de produtos da indústria de transformação na porta das fábricas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 07/01/2014 10:06

Agência Brasil

Rio de Janeiro – O Índice de Preços ao Produtor terminou o mês de novembro com variação de 0,62%, invertendo o ritmo de queda registrado de setembro para outubro, quando houve recuo de 0,45%. O indicador foi divulgado nesta terça-feira (7/1) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e mede a variação dos preços de produtos da indústria de transformação na porta das fábricas, sem custos de frete e impostos.

Em novembro, o IPP teve variação positiva em 16 das 23 atividades pesquisadas, enquanto em outubro, apenas nove haviam apresentado aumento de preços. As maiores altas foram registradas no setor de fumo (5,10%), outros equipamentos de transporte (3,08%) e calçados e artigos de couro (2,78%). Apesar disso, a maior influência veio da indústria alimentícia, que subiu 1,22% e pesou com 0,25 ponto percentual no resultado.

Leia mais notícias em Economia

Os produtos que mais contribuíram para o aumento dos preços na indústria de alimentos foram o açúcar cristal, os resíduos de extração de soja e os sucos concentrados de laranja. O resultado de novembro elevou o acumulado do índice em 12 meses para 5,47%. Em outubro, a mesma soma estava em 5,09%. Já em 2013, a inflação medida pelo IPP acumula alta de 5,04%.

Tanto no acumulado de 12 meses quanto no do ano corrente, o fumo foi a atividade com maior variação, de 14,63% no primeiro caso e 12,94% no segundo. A taxa de novembro foi a quarta maior registrada no ano, perdendo para os meses em que houve as maiores desvalorizações do real frente ao dólar: agosto, que teve IPP de 1,43%; junho, que fechou em 1,32%; e julho, em 1,21%.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade