publicidade

Financiamento do BNDES vai permitir expansão do Porto de Pecém

Com o novo financiamento, o total de empréstimos concedidos pelo BNDES ao complexo de Pecém alcança R$ 1,1 bilhão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 07/01/2014 16:58 / atualizado em 07/01/2014 17:05

Agência Brasil

Rio de Janeiro - Novo financiamento aprovado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no valor de R$ 630,5 milhões, vai permitir a expansão do Porto de Pecém, localizado no município de São Gonçalo do Amarante, no Ceará. O anúncio foi feito nesta terça-feira (7/1) pelo banco.

Luiz Hernani de Carvalho Júnior , diretor de Expansão da Cearáportos, empresa vinculada à Secretaria Estadual de Infraestrutura, que gerencia o Porto de Pecém, disse à Agência Brasil que os recursos vão viabilizar a segunda fase do projeto de ampliação de Pecém. “Ela consiste na implantação de uma ponte de 1.520 metros, paralela à ponte já existente, que vai permitir o trânsito de cargas de maior tonelagem, em função do seu dimensionamento. Isto é, ela vai permitir a passagem de todas as placas que serão exportadas pela [Companhia] Siderúrgica de Pecém [CSP]”, informou.

Carvalho Júnior salientou outra fase da obra que será construída com o empréstimo do BNDES, que é a mudança da cessão do quebra-mar. “Ele seria alargado, de tal forma a permitir que se construísse sobre ele uma rodovia, que vai servir como elo de ligação entre essa ponte nova para permitir a chegada de todos os caminhões, equipamentos, máquinas, para ter acesso aos dois berços que serão implantados também nesta segunda fase”.

Leia mais notícias em Economia

O diretor da Cearáportos acrescentou que esta etapa de expansão propiciará ao terminal de Pecém começar a atender a primeira demanda de produção da CSP, que prevê a exportação de 3 milhões de toneladas de placas por ano. O Porto de Pecém funciona como principal indutor de crescimento do estado, além de gerador de mão de obra qualificada, com incremento na balança comercial cearense. O projeto de expansão tem previsão de gerar 1,9 mil empregos, dos quais 1,5 mil serão na fase de obras, de acordo com informação do BNDES.

Carvalho Júnior disse que as obras de expansão aumentarão a competitividade portuária no estado. “O Porto de Pecém, pelas suas características, pode e deve ser considerado um porto de vanguarda. Mas, com essa segunda ampliação, ele vai ter um novo nicho de movimentação de cargas para o qual ele foi concebido desde o seu início. Ou seja, nós vamos começar a atender agora a uma demanda de produtos oriundos de uma siderúrgica, que está sendo implantada a pleno vapor na área do Complexo Industrial e Portuário do Pecém”.

Com o novo financiamento, o total de empréstimos concedidos pelo BNDES ao complexo de Pecém alcança R$ 1,1 bilhão. O primeiro empréstimo, no valor de R$ 276 milhões, foi aprovado pelo banco em 2009 e objetivava a implantação do Terminal de Múltiplo Uso, que já está operacional e tem capacidade de movimentação de 500 mil TEUs ( twenty-foot equivalent unit, em inglês, ou unidade correspondente a um contêiner de 20 pés) por ano, informou a assessoria de imprensa do BNDES. Novo empréstimo foi aprovado no ano seguinte, no valor de R$ 120,6 milhões, destinado à aquisição e instalação de um sistema de descarga e transporte de granéis sólidos com capacidade operacional de 2,4 mil toneladas/hora, no Terminal de Insumos e Produtos Siderúrgicos.

A movimentação de mercadorias por meio do Porto do Pecém superou 6 milhões de toneladas em 2013, mostrando alta de 40% sobre o ano anterior, de acordo com dados da Cearáportos.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade