Economia
  • (16) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Servidores federais prometem guerra com o governo por reajustes Antes de finalizado o acordo feito com Dilma Rousseff , que garantiu aumento salarial de 15,8% entre 2013 e 2015, o funcionalismo se organiza para ir às ruas

Victor Martins

Publicação: 09/01/2014 06:08 Atualização:

O funcionalismo promete entrar em guerra com o Palácio do Planalto em 2015. Seja quem for o eleito, a Presidência da República terá de enfrentar servidores federais furiosos com a perda de renda imposta por um acordo assinado em 2012. Até o próximo ano, os trabalhadores terão recebido 15,8% de aumento salarial desde que o compromisso foi firmado. Contudo, diante de uma inflação persistentemente elevada, o valor dado pelo governo se mostrou insuficiente para vencer a carestia. Em vez de ganho real, os servidores amargarão, ao fim do período, perda de 2,1%. A resposta para o prejuízo, garantem os sindicalistas, ocorrerá nas ruas.

Representantes das categorias prejudicadas pretendem dar, já em 2014, uma primeira mostra do que está por vir caso não sejam atendidos e, os danos inflacionários, corrigidos. Em pleno ano eleitoral, podem convocar uma paralisação geral dos serviços públicos, o que significaria o rompimento do acordo firmado em 2012, quando ficou acertado que não haveria greve até o vencimento do combinado. A greve deve coincidir com as manifestações programadas durante a Copa do Mundo, fato que já preocupa o governo e que resultará em problemas quando 2015 chegar.

A posição de sindicatos que representa os servidores é um gesto hostil ao Partido dos Trabalhadores, sigla que comanda o país e que, historicamente, sempre contou com o apoio explícito da maioria do funcionalismo, que tomou horror do PSDB, depois do processo de enxugamento da máquina pública promovido durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Um dos braços do partido, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) está encabeçando o movimento de pressão dos insatisfeitos.



A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags:

Esta matéria tem: (16) comentários

Autor: Guilherme Rbr
Lucas Lopes, não falei besteira. Na iniciativa privada existem salários muito maiores que esses. Sem contar os cargos públicos de grande complexidade e responsabilidade, tal como Juiz, Diplomata e Polícia Federal (e que NÃO existem na iniciativa privada). | Denuncie |

Autor: Antonio Silva
Nós da Polícia Federal nem os 15% recebemos. E não ganhamos 20mil NÃO!!! Em final de carreira não ganhamos nem sequer metade desse valor. Meu último reajuste foi em meados de 2007. Esse governo está se vingando das investigações de corrupção que fizemos... | Denuncie |

Autor: Cesar Lins
Paula, sem meias-verdades por favor! O Judiciário recebeu o reajuste de 15% e MAIS UMA *GRATIFICAÇÃO*. O que mais vejo nesses servidores do Judiciário, é choramingos em cima do VENCIMENTO BÁSICO, mas o contracheque é polpudo, pois recebem vários adicionais e gratificações. | Denuncie |

Autor: Lucas Lopes
Grande parte dos servidores federais ineficientes e improdutivos, não merecem o salário que ganham, deviam ter é o salário reduzido, aproximando-se da realidade da iniciativa privada. | Denuncie |

Autor: renato maciel
Acho uma injustica demonizar o PSDB por nao ter dado aumentos ao servico publico. O pais na epoca nao podia conceder aumentos. Sou servidor publico federal e nao me vendo ao PT. Colocar a Policia Federal entre os maiores salarios eh brincadeira de mau gosto. | Denuncie |

Autor: Paula Tejando
E o judiciário que esta sem aumento desde 2006? Em 2013 tivemos 15% igual a todos o que faz o analista judiciário ter a pior remuneração dos 3 poderes. Um analista jud. Ganha 1/2 de um do executivo e 1/3 do legislativo. O maior arrocho salarial dos 3 poderes foi do analista Jud. | Denuncie |

Autor: Alexandre Rodrigues
A despesa com funcionalismo apontada não condiz com a verdade. Desde o início do governo do PT vários concursos, novos órgãos e empresas foram criados. O reajuste "nível" de reajuste não se compara com o crescimento do custeio, pois houve criação de diversas carreiras, órgãos/empresas e concursos. | Denuncie |

Autor: DALTON MARTINS
Com todo respeito aos metalúrgicos a década de 70, mas o servidores não sao massa de manobra. Nos servidores nao nos sentimos representados por essas entidades sindicais, como a condsef por exemplo. | Denuncie |

Autor: DALTON MARTINS
O problema dos dirigentes sindicais e que eles tratam os servidores como se estivessem na década de 70 no ABC paulista. | Denuncie |

Autor: DALTON MARTINS
A ultima greve serviu apenas pra formalizar a manutenção dos atuais dirigentes sindicais que estão a frente dessas entidades ha anos. | Denuncie |

Autor: Ricardo Rick
No meu humilde ponto de vista os servidores deveriam dar o troco em Outubro nas eleições, e procurar eleger representantes de suas categorias para terem maior representatividade no congresso nacional, onde por sua vez algumas vitorias advêm de mudanças. | Denuncie |

Autor: Antonio Silva
Piada incluir a Polícia Federal nos que ganham mais... A grande maioria recebe perto desse mínimo... E sem qualquer reposição de inflação DESDE 2008 | Denuncie |

Autor: Lucia Teixeira
Finalmente leio uma notícia animadora!O Executivo sempre foi o poder prejudicado e discriminado,especialmente os de nível médio. Espero que a luta seja pra valer e que chegue mesmo às ruas. Este governo petista descarado só beneficia ladrões e reajusta outras categorias.Votem nulo desta vez! | Denuncie |

Autor: josé medeiros
Parabéns para quem fez a reportagem.É isso mesmo o que os servidores pensam e vão fazer! Não foram repostas perdas anteriores, os 15,8% foram esmola e em 2015 vai ter! | Denuncie |

Autor: Helton Carlos Leite Ramos
Há muitos anos, os servidores de todas as categorias já deveriam dar um bom exemplo ao governo, no que tange à reposição de perdas salariais e achatamento de salários. | Denuncie |

Autor: Paulo Ramon
A culpa dos "altos salários" visto na tebala acima não é dos servidores públicos concursados, é dos cargos comissionados que recebem e não são dos comissionados que não prestam concurso público e geralmente ocupam postos elevados com salários mais atrativos. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.