publicidade

Cidadão sofre com a falta de peritos médicos e lentidão no atendimento

Nas 1.443 agências espalhadas pelo país, o tempo médio de espera para a consulta com o perito é de 30 dias. No Distrito Federal, esse prazo chega a 44 dias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 12/01/2014 08:20

Guilherme Araújo

Carlos Vieira/CB/D.A Press


O descaso com o contribuinte nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) não se limita ao número insuficiente de funcionários para realizar o atendimento e à lentidão do sistema de informações. A má qualidade das consultas realizadas pelos peritos médicos e a longa espera até o dia marcado para a perícia — consultas exigidas para confirmar ou não o direito a um benefício previdenciário por problemas de saúde — também pesam na lista de queixas dos beneficiários.

Nas 1.443 agências espalhadas pelo país, o tempo médio de espera para a consulta com o perito é de 30 dias. No Distrito Federal, esse prazo chega a 44 dias, ainda melhor que o de estados como Maranhão (64 dias), Alagoas (56) e Amazonas (49). Para completar, no dia da consulta, os segurados são obrigados a aguardar em salas lotadas e abafadas, na fila por mais de duas horas até serem atendidos.

O INSS reconhece a falta de peritos e observa que a situação é ainda pior de dezembro a janeiro, em razão do período de férias. O órgão alega que a falta de médicos nessa época é o principal motivo do aumento do tempo de espera. O atendimento em outras áreas também sai prejudicado pela ausência de funcionários. Os postos têm 4.819 peritos concursados, sendo cerca de 60 no DF. Boa parte dos que deveriam estar nos consultórios cumprem licença médica ou saíram de férias.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

Tags:

publicidade