publicidade

Brecha entre ricos e pobres é a principal ameaça à economia mundial

Relatório do Fórum Econômico Mundial (WEF) explica que a globalização atrai uma polarização das rendas nas economias emergentes e no desenvolvimento, apesar dos óbvios progressos em países como o Brasil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 16/01/2014 10:46

France Presse

Londres - A brecha entre pobres e ricos é a principal ameaça à economia mundial na próxima década, concluiu um estudo do Fórum Econômico Mundial (WEF) difundido nesta quinta-feira (16/1), em Londres.

"A brecha persistente entre as rendas dos cidadãos mais ricos e dos mais pobres é o risco suscetível de provocar danos mais graves no mundo no curso da próxima década", afirma o WEF, uma semana antes da abertura do Fórum de Davos, na Suíça, de 22 a 25 de janeiro.

"A desigualdade desperta preocupação sobre a grande recessão e o efeito redutor nas classes médias das economias desenvolvidas, ao mesmo tempo que a globalização atrai uma polarização das rendas nas economias emergentes e no desenvolvimento, apesar dos óbvios progressos em países como o Brasil", explica o relatório.

Leia mais notícias em Mundo

Segundo este documento, elaborado por mais de 700 especialistas mundiais, os fenômenos meteorológicos extremos, o desemprego, a mudança climática e os ciberataques são, nesta ordem, capazes de "provocar um impacto sistêmico em escala mundial".

O texto também faz referência aos desafios dos jovens que chegam à maioridade na atual década, às menores oportunidades de emprego e aos custos crescentes da educação, e recorda que mais de 50% dos jovens de alguns países desenvolvidos - como a Espanha - buscam trabalho e que o emprego informal em regiões em desenvolvimento onde vivem mais 90% da juventude do mundo registra crescimento.

publicidade

publicidade