publicidade

Maior peregrinação de fiéis do Brasil gera R$ 1,4 bilhão em Aparecida

Com 35 mil habitantes, Aparecida recebe 12 milhões de visitantes por ano. Empresários começam a investir para atrair católicos ricos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 27/01/2014 06:18 / atualizado em 27/01/2014 09:28

Diego Amorim

Ed Alves/CB/D.A Press - 1/4/13

 

Assim como o povo hebreu, ao fugir do Egito, milhões de brasileiros continuam a percorrer longas distâncias em busca da “terra prometida”. O turismo religioso se propõe a explorar o potencial econômico de lugares considerados sagrados, onde a fé atrai os peregrinos, que demandam uma rentável estrutura de bens e serviços. Por ano, as viagens impulsionadas pela fé no país movimentam R$ 15 bilhões, segundo cálculos conservadores do Ministério do Turismo.

Somente em Aparecida, no interior de São Paulo, o número de visitantes anuais chega a 12 milhões. É gente do país inteiro que se desloca até a cidade de 35 mil habitantes para ver de perto o segundo maior templo católico do mundo — menor apenas que a Basílica de São Pedro, no Vaticano. As pesquisas mais recentes indicam que cada fiel gasta, em média, R$ 120 durante o passeio. Significa que, por ano, a economia da fé injeta em Aparecida algo em torno de R$ 1,4 bilhão, 14 vezes o orçamento do município.

Leia mais notícias em Economia

Com as lembrancinhas religiosas — que podem ser compradas em centenas de barraquinhas ou nas lojas de um imenso galpão com cara de “shopping da fé” —, cada peregrino desembolsa pelo menos R$ 20, de acordo com os últimos levantamentos, já defasados. Nos arredores do santuário, a hospedagem mais barata não sai por menos que R$ 200 por dia. “É muito dinheiro que gira nessa cidade”, reconhece dom Darci Nicioli, bispo auxiliar de Aparecida.


A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

publicidade