publicidade

ANS suspende o comércio de 111 planos de saúde de 47 operadoras

O ministro da saúde afirmou não se assustar com o número de reclamações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 18/02/2014 15:22 / atualizado em 18/02/2014 15:56

Bárbara Nascimento

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) suspendeu nesta terça-feira (18/2) a comercialização de 111 planos de saúde de 47 operadoras. No total 1,8 milhão de pessoas foram atingidas diretamente. A ação é parte do programa de monitoramento do órgão regulador que, trimestralmente, proíbe os convênios que infringiram as normas da ANS de comercializar produtos para novos usuários.


Entre os suspensos, 28 planos e 31 operadoras já haviam sido punidos no ciclo anterior e continuam na mesma situação. Outros 122 convênios que estavam suspensos no último trimestre foram reativados.

Leia mais notícias em Economia

 Só entre setembro e dezembro do ano passado, a ANS registrou 17.599 reclamações. No ciclo anterior, eram cerca de 2 mil a menos. Para suspender um plano, a ANS considera, primordialmente, três aspectos: a negativa injustificada de procedimentos, as reclamações dos consumidores e o descumprimento dos prazos para a marcação de consultas, exames e cirurgias. Com isso, elabora um índice para cada empresa e traça uma mediana entre todas elas. A operadora que ultrapassar em 75% essa média é proibida de fechar novos contratos até que prove estar apta para atender com qualidade os usuários.

"Não nos assusta o aumento do número de reclamações. Pelo contrário, significa a ampliação desse canal aberto entre a agência e os beneficários" afirmou o ministro da saúde Arthur Chioro. A proibição dura três meses e a operadora só pode voltar a comercializar quando melhorar o índice de reclamações.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade