publicidade

Fazenda fixa meta do superavit primário em 1,9% do PIB em 2014

Segundo Guido Mantega, e estados e municípios fizerem um superavit menor, o excedente poderá ser utilizado como compensação para que seja alcançada a poupança de R$ 99 bilhões

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 20/02/2014 13:29

Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, destacou nesta quinta-feira (20/2) que, se estados e municípios fizerem um superavit menor do que o previsto em 2014, o excedente que o governo federal alcançar poderá ser utilizado como compensação para que seja alcançada a poupança de R$ 99 bilhões para o abatimento da dívida pública, correspondente a 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB), medida anunciada hoje pelo governo para fortalecer os fundamentos da economia.

Na programação orçamentária divulgada hoje pelos ministério do Planejamento e Fazenda, a meta de superavit primário prevista para o setor público (1,9% PIB), em 2014, será dividida da seguinte forma: 1,55% será proveniente do governo federal e 0,35% dos governos regionais, com suas estatais. “Não acredito [que os governos regionais não cumpram a meta] e vamos trabalhar [para evitar isto]. Mas o nosso compromisso é, se houver excedente e uma frustração do resultado [dos governos regionais] - o que eu acho difícil - cobrimos uma parte”, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Leia mais notícias em Economia

O governo anunciou nesta quinta-feira que o corte no Orçamento Geral da União de 2014 alcançará R$ 44 bilhões [http://goo.gl/e6kCnp ]. Com o corte, o governo pretende atingir este ano um superávit primário equivalente a 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB), correspondente a todo o setor público consolidado, buscando com isso manter a solidez dos fundamentos da economia e a confiança dos investidores internacionais e do mercado interno.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade