Economia
  • (7) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Planalto cruza os dedos e torce para que dados IBGE não mostrem recessão Na próxima quinta-feira, o IBGE dirá se a economia brasileira encolheu no último trimestre de 2013, o que seria o segundo tombo seguido. No Planalto, a perspectiva é de que a atividade se salvou por pouco, com avanço de ao menos 0,2% entre outubro e dezembro

Victor Martins

Deco Bancillon

Publicação: 23/02/2014 08:00 Atualização:

Mantega acredita que o país terá uma boa notícia nesta semana, o que ajudará a reverter a onda de pessimismo (Iano Andrade/CB/D.A Press )
Mantega acredita que o país terá uma boa notícia nesta semana, o que ajudará a reverter a onda de pessimismo

 

Os dedos estão cruzados no Palácio do Planalto. Assessores da presidente Dilma Rousseff, que tentará a reeleição em outubro, não escondem o temor de que, na próxima quinta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) dê uma sentença devastadora ao governo: a de que o país mergulhou em uma recessão técnica no fim de 2013, com queda do Produto Interno Bruto (PIB) no quarto trimestre, depois de um encolhimento de 0,5% entre julho e setembro. Diante de tal ameaça, tanto Dilma quanto o ministro da Fazenda, Guido Mantega, estão se fiando na projeção de parte do mercado financeiro, de que o país escapou do pior ao avançar 0,2% de outubro a dezembro. Integrantes da equipe econômica não descartam, porém, um tombo de 0,1%.

Leia mais notícias em Economia

O sinal de alerta do Planalto acendeu depois de o Banco Central afirmar que, pelas contas dele, o Brasil entrou em recessão. O aviso só agravou o pessimismo de empresários e consumidores quanto ao modo como o governo vem conduzindo o país. Além de a atividade estar fraca, a inflação se mantém persistentemente alta, os juros subiram, encarecendo e escasseando o crédito, e o mercado de trabalho já não mostra o vigor de anos atrás. Não à toa, a popularidade da presidente Dilma está em queda. A mais recente pesquisa eleitoral do Ibope mostra que a aprovação da administração petista recuou de 43% para 39%, renovando os ânimos da oposição.

O quarto trimestre, tradicionalmente o mais forte do ano, era visto pelo governo e por especialistas como um marco da virada da economia. Mas, em vez de aceleração do crescimento, o que se constatou foi um forte encolhimento no ritmo de expansão. Na verdade, há quase uma estagnação da atividade. Dois dos principais motores do PIB, a indústria e o varejo, fraquejaram no fim do ano passado. Apenas em dezembro último, a produção nas fábricas encolheu 3,5% e o varejo recuou 0,2%. A alta dos juros básicos (Selic), de 7,25% ao ano, em abril de 2013, para 10,5% em janeiro deste ano, sem derrubar a inflação, só piora esse quadro. As famílias, superendividadas, compram cada vez menos. Sem perspectivas de aumento futuro das vendas, o empresariado mantém os investimentos congelados.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (7) comentários

Autor: inacio nascimento
Como cidadão Brasileiro, com os meus respeito a opinião, discordo totalmente a ponto de vista o internauta Henrique Gomes. A nossa constituição estabelece regras e precisa ser respeitada, principalmente pelos MILITARES. Qualquer cidadão maior de 35 anos podem candidata-se, porem, com respeito a regra | Denuncie |

Autor: Vaneide Martins
Esse povo que tá ai não ganha mais. | Denuncie |

Autor: José Alencar
O que está causando recessão no Brasil são fatores indiretos: basicamente a violência e a corrupção. | Denuncie |

Autor: vanio almeida
ESSE MANTEGA É UMA MANTEIGA; SÓ FALA MENTIRAS... | Denuncie |

Autor: henrique gomes
Porque as forças armadas não lançam candidato a presidencia? Os miltares poderiam se reunir e formar uma liderança, um partido p/ concorrer ao pleito como qualquer um. Sem preocupação de tomada de poder ou revolução e sim democraticamente. Teremos resultados positivos. | Denuncie |

Autor: henrique gomes
continuando. Arrumem os portos, as estradas p/ melhor escoamento de nossas safras e teremos resultados positivos expressivos e roubem menos. | Denuncie |

Autor: henrique gomes
Não existe recessão, o q. existe são gastos em demasiado e q. não trazem resultados imediatos, além da roubalheira e um profundo erro do Sr. Mantega em achar q. mexer c/ tx. selic dá resultado. A população com sua máquina se a prestação cabe no bolso sem importar no preço final. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas