Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Crise do bitcoin evidencia falhas de autorregulação da moeda Polêmica aumentou com o fechamento recente da plataforma de trocas japonesa MtGox

France Presse

Publicação: 26/02/2014 17:05 Atualização:

Washimgton - A crise que sacode o bitcoin colocou em evidência as falhas da regulação desta moeda virtual e confirma as dúvidas sobre sua viabilidade, segundo analistas questionados pela AFP.

A polêmica aumentou com o fechamento recente da plataforma de trocas japonesa MtGox, que afundou o valor do bitcoin e fez investidores em todo o mundo tremer.

O fechamento da MtGox "é um grande fracasso para a comunidade do bitcoin", disse Mark Williams, especialista da Universidade de Boston e muito crítico da moeda virtual.

"Isso põe em evidência suas falhas estruturais e mostra que a autorregulação não funciona. Quando há muito dinheiro em jogo, há uma forte tentação à fraude e 100% dos consumidores estão em perigo", disse à AFP.

O senador democrata norte-americano Tom Carper, que dirige uma comissão sobre segurança interna no Congresso, também insistiu nos riscos de permitir que o bitcoin prospere sem uma regulação adequada.

"É uma advertência sobre os danos que atores financeiros mal regulados e mal equipados podem causar a clientes pouco receosos", alerta em um comunicado, enquanto é desconhecido o paradeiro de 300 milhões de dólares em bitcoins administrado pela MtGox.

Criada em 2009, o bitcoin é negociado nas plataformas de câmbio online sem qualquer supervisão. Enfrentando sua primeira crise grave, esta moeda virtual deve recuperar urgentemente a confiança dos investidores, estima Henry Farrell, professor de economia política em Washington.

"Se as pessoas começaram a ter medo e a pensar que é um sinal de problemas mais profundos no sistema do bitcoin, pode ser o equivalente (na escala do bitcoin) da crise financeira" de 2007-2008, explica.

Segundo este especialista, poderia haver um movimento de pânico que se "autoalimenta" como no caso do setor bancário com a quebra do Lehman Brothers em setembro de 2008.

 

"Situação frágil"

O bitcoin está em uma "situação frágil" e deve mostrar sua capacidade de resistir, acrescenta, para quem, em sua opinião, a partir de agora foi condenada a ser uma "moeda de diversão".

Antes desta crise, o bitcoin nunca teve boa fama. Esteve na mira das autoridades, sobretudo, chinesas e russas, e o Instituto de Finanças Internacionais, que reúne os maiores bancos do mundo, previa um futuro limitado devido a sua "alta volatilidade".

Leia mais notícias em Economia

O caso da página Silk Road, que permitia comprar droga com bitcoins, deu uma imagem pouco lisonjeira da moeda virtual. A crise da MtGox não vai melhorar as coisas e pode desestimular duradouramente os investidores, segundo o analista financeiro Peter Leeds.

"A rede sempre esteve exposta aos riscos, mas com uma queda de mais de 20% (do valor do bitcoin), nos aproximamos de um ponto que poderia fazer o sistema em seu conjunto descarrilar", afirma.

Os principais atores do bitcoin tentaram apagar o incêndio ao assinar nesta terça-feira um comunicado conjunto acusando a MtGox "de ações intoleráveis" e promete uma ação coordenada "para tranquilizar os clientes e o público sobre a segurança dos fundos".

Segundo eles, esta divisa continua sendo um meio eficaz para transferir riqueza sem depender das vicissitudes que pesam sobre as moedas tradicionais.

Uma prova do dinamismo que caracteriza o setor é que está previsto que a empresa norte-americana especialista em investimentos alternativos SecondMarket lance uma nova plataforma de câmbio, segundo o New York Times.

A crise, contudo, não só deixou pessoas insatisfeitas. Fred Wilson, chefe de uma empresa de capital de risco, aproveitou a queda da moeda virtual nesta terça-feira para aumentar suas compras de bitcoins. "Gosto de comprar quando há pressão. É o melhor momento", escreve em seu blog.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.