publicidade

Número de desempregados na Espanha cai em fevereiro a 4,8 milhões

A quarta economia da Eurozona registrou no segundo mês do ano 1.949 solicitantes de emprego a menos que em janeiro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 04/03/2014 08:41

France Presse

Madri - O número de pessoas registradas nos centros de desemprego na Espanha caiu em fevereiro 0,04%, um mês tradicionalmente ruim para o emprego, a 4,812 milhões, anunciou nesta terça-feira o ministério do Emprego.

A quarta economia da Eurozona registrou no segundo mês do ano 1.949 solicitantes de emprego a menos que em janeiro.

Em termos interanuais, a Espanha registra 227.736 pessoas a menos na lista de desemprego, o que representa uma redução de 4,52%.

O Instituto Nacional de Estatística (INE), que contabiliza a população que busca ativamente emprego e cujo número serve de referência, anunciou no dia 23 de janeiro um novo aumento no último trimestre de 2013, a 26,03% da população economicamente ativa.

Leia mais notícias em Economia

"É a primeira redução em um mês de fevereiro desde 2007", ou seja, antes da crise, afirmou o ministério em um comunicado.

A secretária de Estado para o Emprego, Engracia Hidalgo, ressaltou que nos últimos cinco anos "o desemprego registrado no mês de fevereiro cresceu, em média, 95.233 pessoas".

Os dados do desemprego em fevereiro "reafirmam a tendência dos últimos meses", ressaltou Hidalgo. Em janeiro, o número de desempregados voltou a subir (+2,41%), depois de uma forte queda em dezembro.

A Espanha recuperou um tímido crescimento desde o terceiro trimestre de 2013 e saiu em janeiro do plano de resgate de seu setor bancário.

O governo prevê agora um crescimento de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014, mas o desemprego, que segue em nível recorde, ainda é motivo de preocupação.

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, convocou o país a fazer da criação de emprego sua prioridade.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade