Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasileiros procuram formas de fugir dos preços altos durante viagens A tendência ficou evidente neste carnaval, quando muitos brasileiros mudaram a rotina para evitar gastos excessivos

Antonio Temóteo

Guilherme Araújo

Publicação: 07/03/2014 06:50 Atualização: 06/03/2014 23:39

Aumento da demanda por hospedagem barata levou Júlia Hormann a abrir um albergue em Salvador
 (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Aumento da demanda por hospedagem barata levou Júlia Hormann a abrir um albergue em Salvador


Hospedar-se na casa de parentes ou amigos, usar albergues, viajar de ônibus ou de carro, evitar os quiosques localizados à beira-mar e preparar lanches para consumir na praia. Esses são alguns dos hábitos adotados por turistas para economizar em viagens de lazer. A tendência ficou evidente neste carnaval, quando muitos brasileiros mudaram a rotina para evitar gastos excessivos. Como o Correio mostrou ontem, os consumidores se surpreenderam com os preços abusivos cobrados durante os feriados por lanchonetes, restaurantes, companhias aéreas, hotéis e até mesmo vendedores ambulantes.

Leia mais notícias em Economia

O economista da Confederação Nacional do Comércio, Bens, Serviços e Turismo (CNC) Fabio Bentes explicou que, com o aumento da renda e o baixo nível de desemprego nos últimos anos, os brasileiros passaram a gastar mais com passagens, hospedagem e alimentos. “O aumento da demanda inflou os preços e levou ao encarecimento geral dos serviços. Agora, o brasileiro sentiu no bolso o aumento dos custos e assumiu comportamentos defensivos, como abrir mão de se alimentar em restaurantes durante as viagens”, comentou.

Dados do Índice de Preços ao consumidor Amplo 15 (IPCA-15) — prévia da inflação oficial apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) — mostram que, entre março de 2013 e fevereiro de 2014, o aumento médio do custo de hospedagem chegou a 10,62%, e o de se alimentar fora de casa, a 9,96%. Os percentuais ficaram bem acima dos 5,65% acumulados pelo indicador geral no período.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas