Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Petróleo cai mais de US$ 2 em NY e fecha abaixo de US$ 100 Reservas de produtos destilados, incluindo combustível para calefação, caíram 500 mil barris

France Presse

Publicação: 12/03/2014 20:12 Atualização:

Nova York - Os preços do petróleo caíram fortemente nesta quarta-feira (12/3), e o barril fechou abaixo dos 100 dólares em Nova York, afetados por uma forte alta das reservas semanais nos EUA e pela liberação de uma parte das reservas estratégicas do país.

O barril do tipo "light sweet" (WTI) para entrega em abril caiu US$ 2,04, a US$ 97,99, no New York Mercantile Exchange (Nymex), atingindo seu nível mais baixo desde o início de fevereiro.

Em Londres, o barril de Brent do mar do Norte para entrega em abril baixou 53 centavos, a US$ 108,02, no Intercontinental Exchange (ICE). Na semana passada, as reservas de cru subiram nos Estados Unidos muito mais do que o previsto, de acordo com os números do Departamento de Energia (DoE) divulgados nesta quarta.

Leia mais notícias em Economia

As reservas subiram 6,2 milhões de barris (mb) a 370 mb na semana que terminou em 7 de março. Especialistas consultados pelo Dow Jones Newswires esperavam um aumento de dois milhões de barris. Esta foi a oitava semana consecutiva de alta dessas reservas.

As reservas de produtos destilados, incluindo combustível para calefação, caíram 500 mil barris, a 113,9 mb, conforme esperado pelos analistas.

"O anúncio da liberação de reservas estratégicas de petróleo dos EUA também pesou" sobre os preços, acrescentou Lipow, já que "aumentaram a oferta de cru no mercado".

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas