publicidade

Produtos importados têm maior consumo em 18 anos no mercado brasileiro

Mais de 22% dos produtos consumidos no Brasil vêm de outros países, segundo a CNI

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 19/03/2014 08:27

Simone Kafruni

A participação de produtos importados no consumo do país atingiu 22,3% em 2013, o maior índice desde 1996. Com o dólar baixo e o Custo Brasil sempre em alta, se tornou mais barato importar peças, componentes e produtos acabados do que investir na fabricação nacional. Pela primeira vez em 18 anos, o valor dos insumos importados para produção foi maior do que o das vendas externas da indústria de transformação. O chamado coeficiente de exportações líquidas, que calcula essa diferença, ficou negativo em 0,1%. Os dados constam da publicação Coeficientes de Abertura Comercial, divulgada ontem pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

“O coeficiente aponta que a indústria de transformação passou a gerar receitas com exportação menores do que os gastos com insumos importados”, revelou o estudo, realizado em parceria com a Fundação Centro de Estudos de Comércio Exterior (Funcex). Para o gerente executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, o levantamento mostra a perda de competitividade da indústria nacional no mercado global. “O setor está cada vez mais focado em manter sua posição no mercado doméstico”, explicou Fonseca.

Leia mais notícias em Economia

Não à toa, a balança comercial da indústria está deficitária em mais de US$ 100 bilhões e coloca em risco o desempenho anual do país, que pode fechar o ano com saldo negativo. Isso ainda não ocorreu porque as exportações brasileiras de commodities, sobretudo soja e minério de ferro, compensam o desempenho desastroso dos produtos manufaturados nacionais no mercado internacional.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade