publicidade

Mercados comemoram queda da popularidade da presidente Dilma

A Bolsa de Valores de São Paulo registrou um impulso anormal, puxado pelas ações da Petrobras e da Eletrobras

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 27/03/2014 11:55

Sílvio Ribas

O recuo na avaliação positiva do governo da presidente Dilma Rousseff, de 43% em dezembro para os atuais 36%, segundo pesquisa CNI-Ibope divulgada nesta manhã de quinta-feira (27/3), deixou os mercados em euforia. A exemplo do que ocorreu na semana passada, na véspera da divulgação de outra pesquisa sobre as eleições presidenciais de outubro, os investidores mostraram otimismo diante de rumores sobre uma queda na preferência do eleitor pela presidente.

Na avaliação dos operadores do mercado, esses movimentos mostram uma percepção de uma perspectiva de mudança na política econômica a partir de 2015, caso se confirme as chances de um segundo turno. Logo na primeira hora do pregão de hoje, a Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) registrou um impulso anormal, puxado pelas ações da Petrobras e da Eletrobras. Seu principal índice, o Ibovespa, registrou alta de 2,08%, por volta das 10h, com elevação de 4,3% na ação preferencial (PN) da petroleira, afetada por prejuízos na área de abastecimento e denúncias de negócios irregulares.Os papéis ordinários (ON) da Eletrobras subiam 6% e os do Banco do Brasil disparavam, com 3,5% de alta.

Leia mais notícias em Economia

publicidade

publicidade