Economia
  • (7) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Governo vai segurar reajuste dos combustíveis até as eleições Palácio do Planalto vai segurar o reajuste de combustíveis antes de outubro com o intuito de não prejudicar a candidatura à reeleição de Dilma Rousseff. Rui Falcão, presidente do PT, diz que Petrobras terá de "se segurar", para não pressionar ainda mais a inflação

Sílvio Ribas

Paulo Silva Pinto

Publicação: 02/04/2014 06:00 Atualização: 02/04/2014 00:20

José Alberto Cabral garante que está gastando 30% a mais para encher o tanque do carro do que no início do ano (Breno Fortes/CB/D.A Press)
José Alberto Cabral garante que está gastando 30% a mais para encher o tanque do carro do que no início do ano


Com a inflação em disparada, a ponto de estourar o teto da meta, de 6,5%, às vésperas da eleição presidencial, o governo praticamente bateu o martelo: não autorizará nenhum reajuste da gasolina até que sejam proclamados os resultados das urnas, em outubro próximo. Mesmo que isso signifique sacrificar ainda mais o caixa da Petrobras, que está no centro de uma das mais graves crises políticas da administração Dilma Rousseff. “Se a gente não quer inflação e o preço do combustível impacta o custo de vida, (a Petrobras ) segura mais um pouco”, afirmou ontem ao Correio o presidente nacional do PT, Rui Falcão.

A ordem é não dificultar ainda mais o trabalho do Banco Central, que hoje elevará a taxa básica de juros (Selic) de 10,75% para 11% ao ano, na tentativa de conter a disseminação de reajustes. O governo sabe que, na avaliação dos consumidores-eleitores, inflação pesa muito mais que juros na hora de eles votarem. “Por enquanto, não há aumento de combustíveis à vista. Antes que isso aconteça, teremos de ver um quadro mais tranquilo para a inflação, o que não é possível agora”, disse um técnico da equipe econômica, com trânsito no Palácio do Planalto. “Inflação alta não combina com candidatura à reeleição”, acrescentou.

Leia mais notícias de Economia

Os consumidores sabem que, apesar da decisão do governo de manter os preços dos combustíveis congelados na Petrobras, na bomba, a situação é bem diferente. Desde a metade do mês passado, a gasolina já ficou 2,26% mais cara no Distrito Federal. O derivado do petróleo está sendo vendido a R$ 3,16 o litro ante os R$ 3,09 observados há duas semanas. Na opinião do procurador jurídico José Alberto Cabral, 61 anos, o reajuste foi muito maior. Ele contou que abastece seu carro toda semana e gasta aproximadamente R$ 500 por mês. “No início do ano, tinha uma despesa 30% menor que a de agora. Mas, infelizmente, não temos como fugir. Os preços são os mesmos em todos os lugares, como se houvesse uma combinação entre os postos”, assinalou. “O pior é que não acredito em melhora da situação tão cedo. Outros aumentos virão”, desabafou.

O pessimismo do procurador é compartilhado pelo guia turístico Juan Hermida, 52. Ele gasta, semanalmente, cerca de R$ 70 com combustível e sente o peso no bolso. “Estou desembolsando pelo menos R$ 20 a mais todos os meses. Os postos têm uma estratégia para não chamar a atenção: vão aumentando em centavos, o que parece pouco. Mas, depois de um tempo, faz muita diferença” enfatizou. Diante desse quadro, ele está sendo obrigado a reajustar os seus serviços. “A clientela anda reclamando muito. Mas não tem como ser diferente. Preciso repassar a alta de custos”, lamentou.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (7) comentários

Autor: Éder Aquino
Depois das eleições é que a coisa vai complicar para nós brasileiros, este país está ficando um caos......Vamos nos preparar !! E salve-se quem puder........ | Denuncie |

Autor: Valquênia Pereira
Nossa que notícia maravilhosa. Palmas para o nosso governo que só faz as coisas pensando em ganhar voto e continuar a não fazer nada até pouco antes das próximas eleições!!! É evidente q não temos opção, mas na Sra Dilma não votarei nunca mais!!! Dirlei Amorim.... Bjo amor | Denuncie |

Autor: vitor pereira
Que notícia escandalosa! Como vou prejudicar a capacidade de investimentos de Petrobras, bem como seus milhares de acionistas, para atender a fins privados, beneficiando o grupo que está no poder.Depois o PT reclama das privatizações. | Denuncie |

Autor: Alvaro Brito
Já é um absurdo o preço e ainda querem aumentar mais?. Tó fora dessas eleições! | Denuncie |

Autor: Marta Freitas
AUMENTO DE NOVO??????? | Denuncie |

Autor: Carlos Alves
Boa estratégia, segura o preço da gasolina até a eleição, sendo reeleita, gasolina a R$ 3,30. Esta cada dia mais dificil viver nesse país que só arrecada, nao retribui a população e só almeja cada dia mais interesses dos próprios políticos. A reportagem deixa muito claro isso, nao vê quem nao quer... | Denuncie |

Autor: José Ferreira Ferreira
Eita presente de grego. Você vota e ainda recebe chumbo grosso. Não é necessário o governo avisar, qualquer orelha seca, sabe que em época de eleições, os políticos se seguram para não aumentar nada. Mas depois das eleições o bicho pega, aumento de combustível, energia, água, etc... | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas