publicidade

Copom eleva taxa básica para 11% ao ano, é a nona alteração em um ano

O ritmo de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro recuou e o poder de compra das famílias diminuiu

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 02/04/2014 19:56 / atualizado em 02/04/2014 20:10

Simone Kafruni

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) dicidiu, nesta quarta-feira (02/04), aumentar a taxa básica de juros para 11% ao ano. A Selic, que estava em 10,75% foi elevada em 0,25 ponto percentual, como já previam os analistas de mercado. Essa é a nona alta consecutiva desde abril do ano passado, quando a taxa estava em 7,25% ao ano.

 

A novidade, uma vez que o mercado já apostava numa Selic em 11% ao ano, ficou por conta do comunicado. O BC afirmou que “o Copom decidiu, por unanimidade, neste momento, elevar a Selic em 0,25 p.p. para 11%, sem viés. O Comitê irá monitorar a evolução do cenário macroeconômico até sua próxima reunião, para então definir os próximos passos na sua estratégia de política monetária”.

Leia mais notícias em Economia

Para os especialistas, uma nova alta de 0,25 ponto percentual deve ser anunciada na reunião marcada para maio. Isso porque, mesmo com as nove altas seguidas, a taxa de juros não conteve a carestia. A inflação não deu tréguas e continua beirando o teto da meta do BC, que é de 6,5% ao ano.

 

“O preço dos alimentos voltou a subir por causa dos efeitos climáticos. A gasolina, que estava com valor congelado, já subiu. E o governo não vai conseguir segurar os preços administrados, como as tarifas de energia e dos transportes públicos, por muito mais tempo”, argumentou a economista e sócia da Tendências Consultoria Alessandra Ribeiro.

 

“Precisamos esperar a ata do Copom, que sai na semana que vem, mas eu acredito que o BC vai deixar em aberto a possibilidade de efetuar mais uma elevação na Selic”, estimou Eduardo Velho, economista-chefe do INVX Global Partners.

publicidade

Tags:

publicidade