Economia
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasil terá papel de coadjuvante em reunião do FMI O país teve papel de destaque nas reuniões do FMI durante o auge da crise financeira global, mas agora não passará de mero coadjuvante

Rosana Hessel

Publicação: 05/04/2014 06:48 Atualização:


Chefe da comitiva nacional ao lado de Tombini, Mantega levará para a mesa de discussões a reforma da entidade (Iano Andrade/CB/D.A Press - 20/2/14)
Chefe da comitiva nacional ao lado de Tombini, Mantega levará para a mesa de discussões a reforma da entidade


Liderada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, e pelo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, a comitiva do governo brasileiro que vai ao encontro semestral do Fundo Monetário Internacional (FMI), em Washington, entre 11 e 13 deste mês, levará uma pauta limitada e um tanto escanteada. Em 2008, entre os membros do G20 (grupo das 19 principais nações desenvolvidas e emergentes, mais a União Europeia), o país teve papel de destaque nas reuniões do FMI durante o auge da crise financeira global. Mas, agora, não passará de mero coadjuvante.

Leia mais notícias em Economia

Especialistas reconhecem que a equipe da presidente Dilma Rousseff não tem muito o que mostrar atualmente no fundo, sobretudo devido ao baixo crescimento do país. “Essas coisas são cíclicas. O Brasil já foi o queridinho e perdeu o brilho porque tem feito muita força para que isso ocorra. Vai ser necessário um trabalho muito grande para reconstruir a confiança perdida”, destacou o economista Alexandre Schwartsman, ex-diretor do Banco Central.

“O Brasil não tem grandes pautas para levar ao FMI. Até mesmo a discussão sobre guerra cambial, introduzida pelo ministro Mantega em reuniões anteriores, não tem mais como ser sustentada atualmente”, comentou ele. “O país é apenas mais um membro no FMI. Deixou de ter importância dentro do fundo. E parte disso é resultado da política externa paralela do governo Dilma, que se afasta de parceiros como os Estados Unidos”, destacou o economista Felipe Chad, sócio da DXI Consultoria.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: jose manoel mendes
ISTO É O RETRATO DE UM PAIS, ASSOLADO POR UMA CORRUPÇÃO DESENFREADA. O PAÍS ESTÁ DE MULETAS, VAI DEMORAR MUITO A SE EQUILIBRAR. UÉ, O QUE O BRASIL QUER COM O FMI, O FMI NÃO É COISA DO PASSADO? | Denuncie |

Autor: Delmiro Portilho
com holofotes de paises comunistas, lastimavel | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas