publicidade

Ministros do G20 comprometem-se a reforçar crescimento econômico global

O Fundo Monetário Internacional (FMI) informou que a economia mundial atualmente enfrenta diversos tipos de risco

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 11/04/2014 20:54

Agência Brasil

Dirigentes de bancos centrais e ministros das Finanças das 20 principais economias do mundo comprometeram-se em reforçar o crescimento econômico global. Reunidos hoje (11), em Washington, nos Estados Unidos, os membros do G20 prometeram adotar ações para se contrapor aos principais problemas e riscos da economia atual.

“Estamos determinados a gerir esses riscos e a tomar medidas que reforcem a recuperação, criem emprego e melhorem as perspectivas de médio e longo prazo”, destacou o G20 em comunicado. A nota também informou que os países do grupo permanecem vigilantes em relação a importantes riscos que tornam a economia global vulnerável.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) informou que a economia mundial atualmente enfrenta diversos tipos de risco. Os principais são a redução dos estímulos nos Estados Unidos, a estagnação econômica e a deflação na Europa, os problemas no sistema financeiro da China e os desafios de políticas nos países emergentes.

Os dirigentes financeiros do G20 também manifestaram preocupação com os riscos econômicos da crise na Ucrânia. “Estamos monitorando a situação econômica na Ucrânia, conscientes dos riscos para a estabilidade econômica e financeira”, informou o texto.

O comunicado confirma que as tensões na Ucrânia estão provocando agitação entre as 20 principais potências, que incluem os Estados Unidos, os principais países europeus e a Rússia. O grupo elogiou o FMI e o Banco Mundial por liderarem a ajuda econômica ao governo ucraniano.

O FMI, o Banco Mundial, os Estados Unidos e a União Europeia prometeram US$ 27 bilhões para ajudar a economia ucraniana, mas movimentações militares da Rússia na fronteira oriental do país aumentaram os riscos para essa ajuda.

publicidade

Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade