Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Investidor se protege de feriado prolongado no Brasil e dólar sobe de novo Divisa vai a R$ 2,24 depois de relatório do BC norte-americano mostrar que a maior economia do mundo ganha fôlego. Presidente do Fed, porém, não indica alta de juros

Publicação: 17/04/2014 06:04 Atualização: 17/04/2014 09:53

Horizonte incerto: Yellen disse a investidores que a atividade evolui lentamente e ainda precisa de ajuda  (John Gress/Reuters )
Horizonte incerto: Yellen disse a investidores que a atividade evolui lentamente e ainda precisa de ajuda


O dólar teve nova alta frente ao real e terminou os negócios, nessa quarta-feira (15/4), cotado a R$ 2,24 para venda. A elevação, de 0,15% em relação ao dia anterior, foi impulsionada pela decisão dos investidores de montarem posições para se protegerem antes do feriado prolongado — o mercado brasileiro não vai funcionar na sexta e na segunda-feira — e por informações sobre a continuidade da recuperação econômica dos Estados Unidos, divulgadas pelo Federal Reserve (Fed), o banco central do país.

O Livro Bege, publicação que reúne indicadores de várias regiões, mostrou que a economia dos Estados Unidos ganhou fôlego nas últimas semanas, superando o período em que foi duramente afetada pelas baixas temperaturas do inverno. Oito dos 12 distritos pesquisados pelos analistas da instituição reportaram crescimento de “modesto a moderado”. O documento relatou ainda que os gastos do consumidor e a atividade industrial aumentaram na maior parte das localidades e que as vendas de automóveis subiram em sete distritos.

Leia mais notícias em Economia

A informação ajudou a alta do câmbio porque, quanto mais rápida for a retomada norte-americana, mais cedo o Fed poderá acabar com o programa de estímulos, pelo qual vem despejando mensalmente US$ 55 bilhões na economia, e dar inicio à elevação das taxas de juros, que vêm sendo mantidas perto de zero desde a crise de 2008. Se a política for revertida, os capitais que se espalharam pelo mundo nos últimos anos tendem a retornar aos EUA, num movimento que resultará na valorização da divisa. Até o momento, o Brasil tem se beneficiado do ingresso de recursos. Só na semana passada, segundo o Banco Central, o país registrou entrada líquida de US$ 2,9 bilhões.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags: dólar eua

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas