Economia
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Concessões de aeroportos para iniciativa privada reduz receita da Infraero A estatal teve que elevar a dependência do governo, que a quer empenhada no plano de aviação regional

Pedro Rocha Franco

Publicação: 28/04/2014 08:27 Atualização:

O terminal Juscelino Kubitschek vai render lucro para a ex-operadora, agora sócia, na gestão apenas em 2017 (Iano Andrade/CB/D.A Press)
O terminal Juscelino Kubitschek vai render lucro para a ex-operadora, agora sócia, na gestão apenas em 2017

A concessão de cinco dos seus seis maiores aeroportos - Guarulhos (SP), Galeão (RJ), Brasília, Confins (MG) e Campinas (SP), pela ordem - deixou a Infraero sem uma rota segura para o futuro. As privatizações iniciadas em 2012 tiraram das mãos da estatal 44,23% do movimento de passageiros sob seu domínio e, por tabela, reduziu drasticamente as suas receitas e a sua capacidade de investir nos 60 terminais que restaram sob o seu comando.

Com caixa insuficiente para tocar o seu orçamento e ainda pressionada, como sócia minoritária (49%) dos novos concessionários, pelas obras de expansão dos aeroportos concedidos, a empresa tornou-se ainda mais dependente dos repasses da União, tendo então que cortar funcionários e serviços terceirizados. Sua receita bruta com ganhos operacionais e comerciais encerrou 2012 em R$ 4,36 bilhões. No ano seguinte, com as concessões de Guarulhos, Brasília e Viracopos, o valor caiu para R$ 3,09 bilhões, 29,13% a menos.

Leia mais notícias em Economia

Com essa perda, a Infraero fechou 2012 com lucro de R$ 114,6 milhões e com prejuízo de R$ 2,65 bilhões no ano passado. Essa sangria tende a se agravar em 2014, com a transferência de Confins e Galeão a partir de agosto. Sem outra forma de capitalização, a estatal depende cada vez mais dos recursos do Tesouro, além dos financiamentos do BNDES. Ano passado, R$ 2,2 bilhões foram transferidos do caixa federal.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: virgilio chevalier
Esse é o modelo que visa a substituir o anterior, em que a Infraero bancava tudo (era insuficiente). Agora é fazer o novo modelo operar eficientemente e repassar recursos do Tesouro para a estatal. Qual o problema? | Denuncie |

Autor: Waner Torres
A infraero ganhou sócios e não perdeu patrimônio porque já não os tinha, como sócia existe o período de investimento e depois virão os louros. Concessão e privatização são verbetes distintas. | Denuncie |

Autor: jose junior
Deveria ter utilizado o dinheiro das privatizações nas obras dos demais aeroportos. Quando é público o dinheiro é desviado e se privatizado privilegia o investidor! Difícil fechar essa conta! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas