publicidade

Bancos negam dificuldade de crédito para compra de automóveis

Para a Confederação Nacional das Instituições Financeiras (CNF), a dificuldade de venda está relacionado à falta de demanda do mercado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 29/04/2014 16:13 / atualizado em 29/04/2014 16:14

Agência Brasil

Marcos Michelin/EM

O presidente da Confederação Nacional das Instituições Financeiras (CNF), Luiz Carlos Trabuco, negou que a escassez de crédito seja a causa das dificuldades de venda de veículos automotivos no país. Segundo ele, que também é presidente do Bradesco, o problema está relacionado à falta de demanda do mercado.

“Não existe escassez de crédito. Mesmo nos balanços publicados, o crédito ano a ano tem crescido acima de 10%”, disse Trabuco. De acordo com ele, “o crédito cresce na proporção em que haja demanda por parte de pessoas físicas e empresas”. Além disso, lembrou que governo federal e Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) têm mantido diálogo para criar condições de crédito mais acessível.

“Cada banco tem a sua política de crédito. Financiamento de carro depende de políticas como valor de entrada e prazo. Mas carros nos pátios não podem ser explicados unicamente pelo canal do crédito”, disse. “O volume total de crédito ao setor automotivo não caiu. No fundo, ele tem relação com a própria demanda”, acrescentou.

Leia mais notícias em Economia

No início do mês, ao avaliar a queda de 7,15% na venda de veículos entre fevereiro e março deste ano, o presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Flavio Meneghetti, disse que uma das razões do pessimismo do setor é a dificuldade do acesso ao crédito, que atribuiu à diminuição “do apetite dos bancos em assumir riscos”.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade