publicidade

Empresa contratada pelo governo federal deixa funcionários sem salário

Campeã de contratos de terceirização com o governo federal, a PH Serviços atrasa o pagamento a terceirizados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 10/05/2014 08:00

Antonio Temóteo , Deco Bancillon

Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press


Empresa que mais fatura com contratos de terceirização na Esplanada dos Ministérios, a PH Serviços deixou de pagar o salário de pelo menos 350 empregados em maio. Os trabalhadores que dão expediente no Ministério da Fazenda, na Advocacia-Geral da União (AGU) e na Universidade de Brasília (UnB) não receberam o dinheiro nem foram informados da data em que ele será depositado.

Procurado pela reportagem, o presidente da PH, Hélio Chaves Júnior, confirmou que os pagamentos não foram feitos, mas alegou que o governo não repassou os valores correspondentes aos contratos — o que os órgãos públicos negam. Questionado se a prestadora de serviços enfrenta problemas de caixa, ele disse que “nenhuma empresa está obrigada a bancar o governo. Somos meros repassadores de despesas”, finalizou.

Leia mais notícias em Economia

A PH Serviços é a campeã de contratos de terceirização com o governo federal. Apenas no ano passado, foi agraciada com R$ 254 milhões ao oferecer copeiras, recepcionistas e telefonistas para a Esplanada. Apesar desse alto valor, são recorrentes as reclamações de funcionários por causa de atraso de salários.

Trabalhadores que preferiram não se identificar comentaram que receberam somente metade dos montantes referentes aos vales transporte e alimentação. Todo o crédito deveria ter sido depositado no último dia 2 e o salário até o quinto dia útil do mês, na última quinta-feira. “Não sabemos o que está acontecendo. Parece que a empresa está quebrando e ninguém explica se vamos continuar trabalhando ou vamos para o olho da rua”, comentou um deles.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

publicidade