publicidade

Mantega assume posto de cabo eleitoral e confronta dados econômicos

Para o ministro, o controle inflacionário agora é maior do que nos tempos de FHC

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 15/05/2014 06:08 / atualizado em 15/05/2014 09:22

Deco Bancillon , Rosana Hessel


Cícero


O ministro da Fazenda, Guido Mantega, partiu para o ataque e, em meio à queda da popularidade de Dilma Rousseff nas pesquisas, aderiu ao vale-tudo eleitoral. Um dia após ir ao ar programa partidário do PT na tevê invocando “fantasmas do passado” e pedindo para a população não dar ouvidos a “falsas promessas” da oposição, ele abandonou o costumeiro tom ameno e criticou duramente os resultados econômicos de oito anos de governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

Leia mais notícias de Economia


Em audiência pública na Câmara, Mantega apresentou a gestão petista como a mais bem-sucedida no controle da inflação, superando inclusive a do PSDB, que deu continuidade ao Plano Real, lançado por FHC há 20 anos. “Não há governo que conseguiu controlar a inflação como o nosso, e sem âncora cambial”, afirmou o ministro a parlamentares.

O tom duro das críticas de Mantega atingiu até mesmo Armínio Fraga, coordenador do programa econômico do senador mineiro Aécio Neves (PSDB) e cotado para a Fazenda num eventual governo tucano. “O governo anterior não conseguiu cumprir as metas de inflação. Quando Fraga era presidente do Banco Central (BC), não cumpriu as metas de inflação que ele mesmo criou”, disparou. O regime de metas está em vigor desde junho de 1999.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade