publicidade

Arábia Saudita suspende importações de gado brasileiro por "vaca louca"

A Organização Mundial de Saúde Animal afirmou que o Brasil permanece na categoria de países "com um risco insignificante" de desenvolver a doença no território

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 19/05/2014 10:58

France Presse

Riad - A Arábia Saudita suspendeu "provisoriamente" as importações de gado do Brasil devido a um caso da doença da "vaca louca" no país, anunciou nesta segunda-feira (19/5) o ministério da Agricultura. Em um comunicado publicado pela agência oficial de notícias Spa, o ministério saudita afirma que esta medida foi decidida após um alerta da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) sobre a detecção de um caso de vaca louca no estado de Mato Grosso.

A Arábia Saudita e outras monarquias petrolíferas do Golfo são grandes importadoras de carne bovina, da qual o Brasil é um dos maiores exportadores do mundo. O caso suspeito de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), popularmente conhecida como "vaca louca", foi detectado em uma verificação de rotina em um matadouro de Mato Grosso, em um único gado criado no pasto e que foi sacrificado em 19 de março devido a sua idade avançada, de 12 anos, e sem sintomas de problemas neurológicos, explicou o ministério brasileiro da Agricultura em um comunicado.

Leia mais notícias em Economia

Em 2012 e início de 2013, alguns países, incluindo Japão, China, Taiwan, África do Sul, Coreia do Sul, Arábia Saudita e Peru, suspenderam a importação de carne brasileira após um caso de vaca louca atípico detectado em um animal morto em 2010 no estado do Paraná. A investigação epidemiológica mostrou que a morte do animal não foi causada pela EEB.

A Organização Mundial de Saúde Animal, com sede em Paris, afirmou na ocasião que o Brasil permanece na categoria de países "com um risco insignificante" de desenvolver a doença em seu território.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade