publicidade

Policiais federais ignoram liminar e risco de greve ainda existe

Sindicatos dos policiais avaliam formas de pressionar o governo a conceder reajuste salarial este ano acima do percentual de 15,8%, acordado em 2012

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 20/05/2014 08:40

Bárbara Nascimento

Os policiais federais continuam a queda de braço com o governo, que mantém a proposta de aumento de 15,8% à categoria, o mesmo oferecido em 2012 à maior parte dos servidores dos Três Poderes. O percentual deve ser discutido amanhã pelos sindicatos regionais. “Não descartamos a possibilidade de greve, achamos muito pouco provável que a categoria aceite os 15,8%. Os termos da proposta foram mais impostos do que negociados”, afirmou o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Jones Leal.

Os servidores querem, conforme explica Leal, reestruturação salarial, além de reposição do efetivo. Ele não revelou, no entanto, qual seria o percentual ideal de reajuste para os policiais. “Não recebemos sequer reposição inflacionária nos últimos sete anos. O efetivo está defasado em 4 mil cargos. Queremos mais do que simples aumento”, disse. No dia 24 de maio, haverá nova reunião dos sindicatos, em São Paulo. Os policiais devem pedir também anistia aos processos administrativos relativos à greve de 2012.

Leia mais notícias em Economia

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade