publicidade

Lojistas torcem para uma corrida de última hora às compras antes do Mundial

Esperança de comerciantes é de que a proximidade do início da Copa empolgue brasileiros a comprar produtos verde-amarelos. Analistas acreditam que a situação econômica do país e as críticas ao evento afastam compradores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 27/05/2014 09:15 / atualizado em 27/05/2014 09:42

Diego Amorim

Daniel Ferreira/CB/D.A Press


Nem a Copa do Mundo parece capaz de livrar o comércio do pessimismo. A menos de três semanas para a abertura do evento esportivo, lojistas ainda vivem apenas de expectativa e torcem para uma corrida de última hora às compras. Os próprios representantes do setor não fogem da percepção de que nos Mundiais passados, mesmo o Brasil não sediando os jogos, o verde-amarelo já estava muito mais presente nas ruas e nas vitrines a esta altura.

Para os vendedores, que atuam na linha de frente, e os analistas da retaguarda, há duas maneiras de tentar entender a reação tardia dos consumidores. A primeira está atrelada ao cenário macroeconômico do país do futebol: a inflação segue alta, o crédito encareceu e as famílias nunca tiveram tão endividadas. Com um quadro insistentemente desfavorável, a euforia da competição não se mostra suficiente para conseguir virar esse jogo.

Leia mais notícias em Economia

A outra explicação tem como pano de fundo o turbilhão de críticas e protestos em torno da Copa no Brasil. Boa parte da população, na opinião de quem procura compreender o que está acontecendo, não tem demonstrado, por enquanto, sentimentos de orgulho e entusiasmo, ao contrário do que se podia imaginar. Esse desânimo às vésperas de a bola começar a rolar também acaba contribuindo para as vendas de artigos brasileiros estarem abaixo do esperado.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

publicidade