Economia
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

De olho nas urnas, Dilma afaga empresas com desoneração da folha Após longa reunião com o setor privado, presidente e ministro da Fazenda anunciam que vão tornar permanente a desoneração da folha

Rosana Hessel

Publicação: 28/05/2014 06:05 Atualização:


Encontro no Palácio do Planalto, que durou cerca de três horas, foi marcado pela descontração e cordialidade, segundo informaram os convidados (Roberto Stuckert Filho/PR)
Encontro no Palácio do Planalto, que durou cerca de três horas, foi marcado pela descontração e cordialidade, segundo informaram os convidados


A presidente Dilma Rousseff resolveu ontem dar uma boa notícia para o setor privado, no momento em que a confiança no governo desmorona e empresários decepcionados com o governo atual se aproximam da oposição. Depois de uma reunião de quase três horas com 35 empresários e representantes de entidades patronais, ela e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciaram que atenderão ao pedido dos executivos na semana passada, prorrogando o benefício da desoneração da folha de pagamentos de forma permanente.

A medida tem como principal objetivo evitar o desemprego em segmentos de mão de obra intensiva. Ela desobriga a contribuição empresarial de 20% dos salários dos trabalhadores para a Previdência Social e, em troca, a companhia passa a recolher de 1% a 2% do faturamento, dependendo do setor.

Esse subsídio representa uma renúncia fiscal de R$ 21,6 bilhões para os cofres da União, conforme informou Mantega. Um dos pilares do Plano Brasil Maior, lançado por Dilma em agosto de 2011 com o objetivo de aumentar a competitividade da indústria, a desoneração abrange, atualmente, 56 setores. A medida expiraria em 31 de dezembro para diversos grupos de empresas, como confecções, serviços de tecnologia da informação, call centers, varejo, eletrodomésticos e eletroeletrônicos, aeronáutica, aviação civil, jornais e revistas e autopeças.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags:

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: alvailton santos
Uma politica para enche os bolsos dos empresários, que vão financia a campanha, devia usa na saude estes recursos. | Denuncie |

Autor: Rogerio sousa
esta bomba vai cair no colo do contribuinte ou seja de alguma forma os impostos terão que ser compensado | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas