Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasil será o sexto produtor de petróleo em 2035, aponta Graça Foster No acumulado até 2013, a Petrobras investiu no pré-sal US$ 20 bilhões em atividades de exploração e de produção

Agência Brasil

Publicação: 02/06/2014 16:39 Atualização:

A presidenta da Petrobras, Graça Foster, disse hoje (2) que, em 2035, o Brasil será o sexto maior produtor de petróleo do mundo, com uma participação de 6,1% na produção internacional. Ela informou que a previsão foi feita pela Agência Internacional de Energia, organismo internacional integrada por 29 países. “Interessante é que tudo isso são previsões de analistas independentes, que têm seus próprios modelos”, acrescentou a dirigente, em palestra no 4º Seminário Sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira, promovido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), para analisar o modelo energético brasileiro com as perspectivas e desafios do setor.

Graça Foster informou que, em maio deste ano, na média, o pré-sal correspondeu a 22% do que foi produzido pela Petrobras no período, e alcança resultados crescentes. “No mês de abril, o Brasil produziu média de 411 mil barris/dia no pré-sal das bacias de Campos e Santos. No dia 11 de maio, bateu recorde na produção, com 470 mil barris/dia, e estamos muito próximos de fazer 500 mil barris /dia. Hoje, olhando 2010 e 2014, a produção no pré-sal cresceu dez vezes. Todos os dias temos incorporações e, algumas vezes no mês, temos feito várias interligações no pós-sal e no pré-sal, de tal forma que a gente tenha o crescimento da curva de produção”, explicou.

No acumulado até 2013, a Petrobras investiu no pré-sal US$ 20 bilhões em atividades de exploração e de produção. “Estamos em uma fase em que 52% das reservas do Brasil, considerando as reservas provadas e volumes potencialmente recuperáveis, são reservas no pré-sal. Vamos estar produzindo próximo a 4,2 milhões de barris de petróleo em 2020, grande parte no pré-sal, e, por isso, o investimento até 2018 vai acumular um investimento de US$102 bilhões. Esse investimento já está contratado e é compromisso de Petrobras”, revelou.

Os estudos indicam ainda que o quadro da matriz energética mundial, no período de 2011 a 2030, se manterá predominantemente fóssil, em que o petróleo estará firme como a fonte de energia mais consumida. “Em termos renováveis, tem um crescimento em especial de energias solar e eólica, mas, ainda assim, vai ter predomínio de petróleo em 2030”, informou Graça Foster. A presidenta defendeu ainda a necessidade de mais investimentos em produtividade na indústria naval . Ela acrescentou que 12 refinarias estão sendo construídas no Brasil e mais duas serão iniciadas. “Significa que teremos petróleo para atender à nossa demanda e ainda certamente o Brasil se tornará um exportador de petróleo”, completou.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

:: Publicidade



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas