publicidade

Puxadinho com atraso no aeroporto de Confins, em Belo Horizonte

A unidade deve ampliar a capacidade em 3,9 milhões de passageiros por ano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 06/06/2014 09:09 / atualizado em 06/06/2014 09:19

Pedro Rocha Franco

Paulo Whitaker/Reuters

Uma série de problemas emperra a construção do terminal provisório do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte. A entrega do edifício conhecido como puxadinho foi novamente adiada, para julho, prolongando o sufoco diário de milhares de passageiros. Desta vez, o atraso foi motivado por problemas estruturais. A Infraero advertiu o consórcio responsável pela obra, que, por contrato, a reforma deveria ter sido concluída em março. Mas, em vez de multa, as empresas assinaram um aditivo que lhes garantiu mais tempo.

O atraso na entrega do terminal provisório restringiu as operações no aeroporto. A unidade deve ampliar a capacidade em 3,9 milhões de passageiros por ano, mas, sem a conclusão, a Secretaria de Aviação Civil (SAC) da Presidência não pôde considerar o aumento de capacidade no planejamento operacional.

Leia mais notícias em Economia

A empresa responsável pela administração do aeroporto confirmou que “durante a execução dos serviços, foi constatada a necessidade de reforço na estrutura metálica existente”, ou seja, do antigo terminal de aviação geral ampliado para receber voos comerciais. O superintendente regional da estatal, Silvério Gonçalves, confirmou os problemas, mas se disse impedido de dar detalhes das obras. “Sei que tivemos problemas técnicos e, por essa razão, não ficou de todo pronto”, resumiu.


A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade