publicidade

Para seguradora, Copa e Olimpíada vão pressionar inflação no Brasil

Seguradora Euler Hermes prevê crescimento de 1,8% do PIB brasileiro em 2014 e de 2,1% em 2015

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 11/06/2014 17:53

France Presse

Paris - A Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 vão impulsionar mais a inflação do que o crescimento do Brasil, afirma um estudo da seguradora Euler Hermes divulgado na véspera da abertura do Mundial.

"Nem a Copa do Mundo, nem os Jogos Olímpicos vão fortalecer a economia do Brasil", de acordo com o estudo.

"Estimamos que estes eventos esportivos gigantescos vão contribuir, na melhor das hipóteses, com 0,2 ponto percentual para o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2014 e com menos de 0,1 ponto percentual em média por ano entre 2015 e 2016", acrescenta a seguradora.

Leia mais notícias em Economia

A Euler Hermes prevê um crescimento de 1,8% do PIB brasileiro em 2014 e de 2,1% em 2015.

Em troca, acrescenta a empresa, a pressão inflacionária será grande. "A inflação deve chegar a 6,3% em 2014 e a 6,1% em 2015. Mais de 0,5 ponto percentual da inflação anual em 2014 poderá ser explicado por estes mega-eventos", detalha.

A Euler Hermes estima que os efeitos poderão ser sentidos mais além.

"Mesmo que comecem a diminuir após os Jogos Olímpicos, eles não devem desaparecer até 2020", acrescenta a Euler Hermes.

De acordo com a seguradora, "estes mega-eventos revelam as deficiências inerentes do modelo econômico brasileiro". Levando-se em consideração o descontentamento social provocado pela inflação, a Copa do Mundo pode representar um estímulo para que uma política de reformas econômicas seja implementada às vésperas da eleição de outubro, considera.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade