publicidade

Índice de Confiança do Consumidor sobe 1% de maio para junho, segundo Ibre

O índice passou de 102,8 para 103,8 pontos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 26/06/2014 09:35

France Presse

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) subiu 1% de maio para junho deste ano, passando de 102,8 para 103,8 pontos. O resultado positivo no mês, porém, é insuficiente para alterar a tendência de queda, iniciada em novembro do ano passado, do indicador.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (2/66) pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) e indicam que, em junho, a avaliação dos consumidores com relação à situação atual melhorou ligeiramente, enquanto as expectativas em relação aos meses seguintes ficaram estáveis.

O Índice da Situação Atual (ISA) subiu 2,2%, indo a 109,6 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) apresentou uma variação de 0,1%, passando a 100,7 pontos.

Também o indicador que mede o grau de satisfação dos consumidores com a situação financeira da família avançou 2% em junho, passando de 105,1 para 107,2 pontos, influenciando positivamente o resultado do ICC deste mês.

Leia mais notícias em Economia

O indicador, porém, “mantem-se ainda bastante abaixo da média histórica de 113,4 pontos”, segundo o Ibre. Já a proporção de consumidores que avaliam a situação como boa aumentou de 19,2% para 21,6%, enquanto a dos que a julgam ruim aumentou em menor proporção: de 14,1% para 14,4%.

Um sinal significativo da melhora da confiança do consumidor brasileiro pode ser constatada a partir da diminuição da preocupação dos consumidores com relação ao orçamento doméstico para os próximos meses. “O indicador que mede o grau de otimismo em relação à situação financeira familiar subiu 1,9%, chegando a 127,1 pontos. Enquanto a parcela consumidores projetando melhora subiu de 32% para 33,9%; a dos que preveem piora caiu de 7,3% para 6,8%”, ressaltou o instituto.

A Sondagem de Expectativas do Consumidor é feita pelo Ibre com base numa amostra com cerca de 2 mil domicílios em sete das principais capitais brasileiras. A coleta de dados para a esta edição ocorreu entre os dias 2 e 23 de junho.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade