publicidade

Setor de transportes do PAC avançou graças às concessões, avalia ministro

O documento que sintetiza as ações do programa volta a apresentar como adequado o projeto do trem de Alta Velocidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 27/06/2014 15:49

Agência Brasil

O ex-ministro dos Transportes, César Borges, afirmou que o setor privado foi importante para os avanços do Programa de Investimentos em Logística (PIL), criado para promover concessões de infraestrutura em rodovias, ferrovias, aeroportos e portos brasileiros. A análise foi feita nesta sexta-feira (27/6), durante o décimo balanço da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), cuja execução no setor de transportes alcançou R$ 58,9 bilhões.

César Borges deixou o ministério ontem (26/6), para assumir à Secretaria de Portos. Ele foi substituido por Paulo Sérgio Passos. A cerimônia de transmissão de cargo de ministro dos Transportes está marcada para hoje às 15h.

O documento que sintetiza as ações do programa volta a apresentar como adequado o projeto do trem de Alta Velocidade (TAV). No último balanço, em fevereiro, o mesmo carimbo foi considerado pelo governo, apesar de o leilão do TAV já ter sido adiado em três ocasiões diferentes no passado.

Leia mais notícias em Economia

De acordo com o balanço apresentado, foram finalizados, até abril deste ano, 3003 quilômetros de rodovias e 1053 quilômetros de ferrovias. No setor portuário, 22 empreendimentos foram concluídos, e a capacidade de atendimento dos aeroportos aumentou em 15 milhões de passageiros.

Segundo César Borges o “sucesso” das seis concessões já promovidas até o momento para a modernização e administração de rodovias se deve em parte à confiança depositada no setor privado.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade