publicidade

MTE divulga lista com 609 empregadores que adotam trabalho escravo

Na atualização, foram incluídos 91 empregadores que entraram no cadastro por explorar relações de trabalho próxima à escravidão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 02/07/2014 19:21 / atualizado em 02/07/2014 20:27

O cadastro traz números lamentáveis sobre a relações de trabalho do país. Com a atualização, o documento passa a conter 609 infratores, entre pessoas físicas e jurídicas com atuação no meio rural e urbano. A lista foi liberada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), nesta terça-feira (2/7).

Foram incluídos 91 nomes de empregadores flagrados mantendo trabalhadores em condições análogas às de escravo. Mesmo sendo um saldo negativo, 48 empregadores foram excluídos do cadastro conhecido como “Lista Suja”, em cumprimento a requisitos administrativos.

O Pará é o que mais apresenta empregadores inscritos na lista, totalizando cerca de 27%, seguido por Minas Gerais com 11%, Mato Grosso, 9%; e Goiás, 8%. A pecuária constitui a atividade econômica desenvolvida pela maioria dos empregadores (40%), seguida da produção florestal (25%), agricultura (16%) e indústria da construção (7%).

Os procedimentos de inclusão e exclusão são determinados pela Portaria Interministerial nº 2/2011, que estabelece a inclusão do nome do infrator no cadastro após decisão administrativa final relativa ao auto de infração, lavrado em decorrência de ação fiscal, em que tenha havido a identificação de trabalhadores submetidos a trabalho escravo.

Confira os nomes da “Lista Suja” aqui.

publicidade

publicidade