publicidade

Associação prevê queda de 10% na produção de automóveis deste ano

A Anfavea atribui o resultado negativo, em parte, à Copa do Mundo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 08/07/2014 07:05 / atualizado em 08/07/2014 08:36

Renault/Divulgação


A produção brasileira de veículos, incluindo automóveis, comerciais leves (picapes, SUVs e furgões), caminhões e ônibus, caiu 16,8% no semestre, informou ontem a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Nos seis primeiros meses do ano, o país fabricou 1,57 milhão de unidades ante 1,88 milhão no mesmo período do ano passado. Na comparação do mês passado, quando foram produzidos 215,9 mil veículos, em junho de 2013, a queda é ainda maior, de 33,3%.

Leia mais notícias em Economia

O fraco desempenho do setor levou a Anfavea a rever as suas previsões para 2014. Agora, a associação projeta queda de 10% na produção em 2014, para um total de 3,34 milhões de unidades. Em relação às vendas, a expectativa é de recuo de 5,4% no número de veículos licenciados. A previsão anterior, divulgada em janeiro, era de alta de 1,4% na produção e de aumento de 1,1% nas vendas, na comparação com 2013. Confirmada a nova projeção, será a maior queda anual desde 2002, quando o número de veículos fabricados recuou 2,45% na comparação com o ano anterior.

Copa
A Anfavea atribui o resultado negativo, em parte, à Copa do Mundo. “Em junho, tivemos menos de 17 dias de produção”, afirmou Luiz Moan, presidente da Anfavea, explicando que diversas fábricas deram férias coletivas no mês, enquanto outras trabalharam em regime parcial. Além da Copa, feriados em dias de semana ajudaram a diminuir o número de dias úteis no 1º semestre. Outros fatores apontados para a redução foram a maior seletividade dos bancos para financiar veículos e as restrições das exportações da Argentina.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade