publicidade

Inflação atinge 6,52% e estoura teto da meta, indica IBGE

É a 11ª vez que o custo ultrapassa o limite de tolerância durante o governo Dilma Rousseff

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 08/07/2014 09:12 / atualizado em 08/07/2014 09:43

Vicente Nunes /Correio Braziliense

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) atingiu 6,52% no acumulado de 12 meses até junho. Com isso, a carestia estoura o teto da meta, de 6,5%, definido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). É a 11ª vez que o custo ultrapassa o limite de tolerância durante o governo Dilma Rousseff. Em junho, a inflação cravou 0,40%, ficando no teto das previsões do Ministério da Fazenda. O índice foi divulgado nesta terça-feira (8/7), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ed Alves/CB/D.A Press

Até a noite dessa segunda-feira (7/7), os técnicos da equipe econômica ainda acreditavam que o IPCA não fosse estourar o limite de tolerância. O governo acredita que, apesar de ruim, o número será abafado pela expectativa em torno do jogo do Brasil contra a Alemanha, pela Copa do Mundo, que será realizado nesta tarde, em Minas Gerais.

Leia mais notícias em Economia

O estouro da meta se deu mesmo com a deflação de 0,11% nos preços dos alimentos. Em maio, o grupo alimentação havia ficado 0,58% mais caro. Dos produtos que contribuíram para a deflação, segundo o IBGE, a batata-inglesa, que caiu 11,46%, e o tomate, com baixa de 9,58%.

O que mais pesou para a inflação foi o grupo de despesas pessoais, com alta de 1,57%. Sozinho, esse grupo respondeu por quase a metade do IPCA de junho. Apesar do estouro do teto da meta de inflação não há, no entender do mercado financeiro, qualquer possibilidade de o Banco Central (BC) elevar a taxa básica de juros (Selic) na reunião da semana que vem do Comitê de Política Monetária (Copom). O BC, neste momento, está mais preocupado com a forte desaceleração da atividade econômica.

publicidade