Economia
  • (6) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Inflação atinge 6,52% e estoura teto da meta, indica IBGE É a 11ª vez que o custo ultrapassa o limite de tolerância durante o governo Dilma Rousseff

Vicente Nunes - Correio Braziliense

Publicação: 08/07/2014 09:12 Atualização: 08/07/2014 09:43

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) atingiu 6,52% no acumulado de 12 meses até junho. Com isso, a carestia estoura o teto da meta, de 6,5%, definido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). É a 11ª vez que o custo ultrapassa o limite de tolerância durante o governo Dilma Rousseff. Em junho, a inflação cravou 0,40%, ficando no teto das previsões do Ministério da Fazenda. O índice foi divulgado nesta terça-feira (8/7), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estouro da meta se deu com a deflação de 0,11% nos preços dos alimentos: a batata-inglesa e o tomate tiveram as maiores quedas do grupo (Ed Alves/CB/D.A Press)
O estouro da meta se deu com a deflação de 0,11% nos preços dos alimentos: a batata-inglesa e o tomate tiveram as maiores quedas do grupo

Até a noite dessa segunda-feira (7/7), os técnicos da equipe econômica ainda acreditavam que o IPCA não fosse estourar o limite de tolerância. O governo acredita que, apesar de ruim, o número será abafado pela expectativa em torno do jogo do Brasil contra a Alemanha, pela Copa do Mundo, que será realizado nesta tarde, em Minas Gerais.

Leia mais notícias em Economia

O estouro da meta se deu mesmo com a deflação de 0,11% nos preços dos alimentos. Em maio, o grupo alimentação havia ficado 0,58% mais caro. Dos produtos que contribuíram para a deflação, segundo o IBGE, a batata-inglesa, que caiu 11,46%, e o tomate, com baixa de 9,58%.

O que mais pesou para a inflação foi o grupo de despesas pessoais, com alta de 1,57%. Sozinho, esse grupo respondeu por quase a metade do IPCA de junho. Apesar do estouro do teto da meta de inflação não há, no entender do mercado financeiro, qualquer possibilidade de o Banco Central (BC) elevar a taxa básica de juros (Selic) na reunião da semana que vem do Comitê de Política Monetária (Copom). O BC, neste momento, está mais preocupado com a forte desaceleração da atividade econômica.

Esta matéria tem: (6) comentários

Autor: Paulo Almeida
Começou o terrorismo. PIG | Denuncie |

Autor: Thiago Nascimento
6,52? Tá bom, me engana que eu gosto! Só quem está sentindo no bolso o peso dos preços salgados e cada dia mais altos é que sabe como está difícil viver! | Denuncie |

Autor: Cleiton Ferreira
Esse sim é o verdadeiro legado que a copa há de proporcionar ao cidadão brasileiro. | Denuncie |

Autor: jefferson melo
E o povo tranquilão vendo a copa. E o Brasil, se acabando pelas beiradas. E a Dilma. Sorrido com o É Tois. | Denuncie |

Autor: jefferson melo
E o povo de olho na copa. | Denuncie |

Autor: carlos Carvalho
enquanto isso o governo posa de que a inflação está controlada e não há aumento pra ninguém, a não ser para os privilegiados do bolsa familia e os próprios servidores do legislativo..para o executivo a maciça está amargando com reajustes que a cada dia corroem o poder de compra frente a inflação. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas