Economia
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mais de um milhão de britânicos fazem greve contra cortes de salários O dia terá como ponto alto as manifestações em todo o país. O protesto de Londres terminará em Trafalgar Square

France Presse

Publicação: 10/07/2014 08:07 Atualização:

Londres - Mais de um milhão de funcionários do setor público aderiram a uma greve nesta quinta-feira na Grã-Bretanha, em protesto contra os cortes orçamentários e salariais, segundo os sindicatos, na maior paralisação contra o governo conservador de David Cameron. O dia terá como ponto alto as manifestações em todo o país. O protesto de Londres terminará em Trafalgar Square.

A mobilização inclui professores, funcionários do setor administrativo, garis e seguranças de parques (Toby Melville/Reuters)
A mobilização inclui professores, funcionários do setor administrativo, garis e seguranças de parques


A mobilização inclui professores, funcionários do setor administrativo, garis e seguranças de parques. O movimento é o maior desde a chegada ao poder, em 2010, do governo conservador de Cameron, que decidiu combater a crise com medidas de austeridade.

O governo congelou os salários dos funcionários públicos por dois anos e agora limitou os aumentos a 1% anual. Os sindicatos anunciaram que chegou o momento de "dizer basta". "Os grevistas merecem o apoio da população", disse a secretária-geral do Trades Union Congress, Frances O'Grady. "O que estão dizendo é que os atuais funcionários não podem ser marginalizados da recuperação e que corresponde a todos uma parte justa, à medida que a economia volta a crescer", afirmou.

Leia mais notícias em Economia

A economia britânica deixou para trás a recessão em 2009, após uma forte queda e, desde então, registrou um crescimento sólido (3,1% nos 12 meses anteriores ao fim de março). Apesar do anúncio da greve, o governo espera que muitos funcionários públicos compareçam ao trabalho.

Cameron criticou a iniciativa ao afirmar que os grevistas "fariam melhor em trabalhar" e que a greve era a decisão da minoria. "A grande maioria dos funcionários não votou pela greve e os primeiros sinais mostram que a maioria compareceu ao trabalho, como sempre", disse o porta-voz do governo, que duvidou do número de um milhão de grevistas antecipado pelos sindicatos.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Jean Car
Enquanto no Brasil é farra com dinheiro público, falta de noção e vergonha mesmo, onde muitos ganham e muitos padecem em vários quesitos. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas