publicidade

FED defende cautela, mas admite que juros podem aumentar antes do previsto

No mercado, a previsão é de que os juros comecem a subir em meados de 2015

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 23/08/2014 07:30

Spencer Platt/AFP


Jackson Hole, EUA — Num discurso aguardado ansiosamente por investidores em todo o mundo, a presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen, afirmou que os níveis de emprego nos Estados Unidos “ainda não se recuperaram totalmente da crise”, mas disse que, se o mercado de trabalho se recuperar rapidamente, as taxas de juros no país podem ser elevadas antes do previsto.

No encontro anual de presidentes de bancos centrais em Jackson Hole (Wyoming, oeste dos Estados Unidos), Yellen confirmou que o Fed prevê encerrar em outubro o programa de compras de títulos hipotecários, pelo qual vem injetando recursos no mercado para estimular a economia. Mas não falou em prazos para a alta dos juros, uma questão que vem inquietando um número crescente de integrantes da instituição. No mercado, a previsão é de que os juros comecem a subir em meados de 2015.

Yellen disse que não há uma “receita simples” para a política monetária, devido à “considerável incerteza” sobre a evolução da inflação e do desemprego. E defendeu uma postura “pragmática” que dê às autoridades espaço para agir à medida que os dados da economia forem sendo conhecidos. Embora o pronunciamento tenha sido visto como equilibrado, o mercado reagiu ao discurso. Na Bolsa de Nova York, o índice Dow Jones fechou em baixa de 0,22%. No Brasil, o dólar subiu 0,53% e fechou a R$ 2,28.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade