Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Taxa média de juros cobrada do consumidor é a maior desde 2011 Inadimplência avança e especialistas recomendam cautela nas compras

Bárbara Nascimento

Publicação: 27/08/2014 06:02 Atualização: 27/08/2014 08:32

Márcia dos Santos e a filha Luana: dívidas exigem malabarismo da família para fechar as contas do mês (Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
Márcia dos Santos e a filha Luana: dívidas exigem malabarismo da família para fechar as contas do mês


Comprar a prazo está cada vez mais caro. A taxa média de juros cobrada das pessoas físicas atingiu em julho 43,2% anuais, o maior nível desde março de 2011. No cheque especial, os encargos saltaram para 172,4%. Não à toa, o índice de calote, que vinha se mantendo comportado, voltou a subir e cravou 6,6%, patamar inédito desde maio.

Nem mesmo a injeção de R$ 45 bilhões pelo Banco Central (BC) no mercado foi capaz de mudar o retrato do mercado de crédito. Além de aumentar os juros, os bancos mantiveram o pé no freio das operações. Tanto que, na média geral, as concessões de empréstimos e financiamentos tombaram 4% no mês passado. O estoque total de crédito no país teve o menor crescimento para 12 meses desde 2008, 11,4%, sexto mês seguido de desaceleração.

“Eu me programo muito antes de fazer uma compra a prazo ou financiamento e nem chego perto do cheque especial porque sei que os juros são altíssimos”, afirmou o estudante Luan Felipe, 19 anos. Ele acabou de terminar de pagar um carro e conta que poupou o máximo para financiar o menor valor possível. “No fim, a gente acaba pagando por dois carros, de tão altos que são os juros. O objetivo inicial era comprar à vista, mas não consegui juntar o dinheiro todo”, lamentou.

Leia mais notícias em Economia

A operadora de sistemas Maria Aparecida Nunes, 43, contou que trata dos compromissos a prazo com cuidado para não se enrolar. Ela também financia um automóvel e usa habitualmente o cartão de crédito. “Tem que fazer os cálculos, prever gastos e controlar o orçamento, senão não tem como pagar”, confessou.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas