Economia
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasil se mantém firme no posto de campeão de juros reais elevados Mesmo depois de o IBGE ter apontado retração da economia brasileira no primeiro semestre, o Comitê de Política Monetária deixa inalterada a taxa Selic. Decisão foi unânime, mostrando preocupação com a persistência da inflação

Deco Bancillon

Publicação: 04/09/2014 09:14 Atualização:

Menos de uma semana após o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmar que o país mergulhou numa recessão técnica entre janeiro e junho, o Banco Central ignorou a debilidade do quadro econômico e, contrariando os anseios do próprio governo, resolveu ontem manter inalterada a taxa básica de juros. Em decisão unânime e amplamente esperada pelo mercado financeiro, os integrantes do Comitê de Política Monetária (Copom) mantiveram a taxa Selic em 11% ao ano.

Com a decisão, o Brasil se mantém firme no posto de campeão internacional no ranking de juros reais elevados, à frente de países como China, Índia e Rússia. Enquanto na maior parte do mundo os juros básicos caíram para perto de zero, nos mercados emergentes vale a receita de sempre: elevar o custo do dinheiro para segurar a inflação e, de quebra, atrair investidores de curto prazo, acenando com as taxas nas alturas.

Não foi à toa, porém, que o BC decidiu manter a Selic. Apesar de ter se mostrado mais comportada nos últimos meses, a carestia continua elevada. Em 12 meses, até julho, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mostra avanço de 6,5%. Foi a segunda vez no ano que o indicador encostou no teto da meta fixada pelo governo, de 4,5%, com tolerância de dois pontos para cima ou para baixo.

Leia mais notícias em Economia

No radar da autoridade monetária, preocupa também o risco de fuga de capitais. Neste ano, o fluxo de entradas e saídas de dólares, que já havia fechado no vermelho em fevereiro, maio e junho, ficou negativo em US$ 3,056 bilhões em agosto — o maior rombo do ano, o que mostra que, mesmo com juros altos, o Brasil tem enfrentado dificuldade para atrair investidores estrangeiros.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags:

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: ANTONIO RIBEIRO
A agiotagem do banqueiros improdutivos será ainda maior se for entregue a chave do galinheiro à raposa. Ou seja, caso Marina Silva vença, e sua assessora Neca Setúbal, passe a mandar de fato, junto com seus colegas agiotas banqueiros. | Denuncie |

Autor: jorge almada
Estes juros altas em nada inibem o consumo e a inflação, somente contribuem para aumento da divida interna que no governo Dilma aumentou, aumentou muito, muito.. Para felicidade dos grandes bancos.... Acorda Brasil!!!!! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

PUBLICIDADE

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas