SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Depois de três quedas seguidas, dólar volta a subir e vai a R$ 3,16

Na semana, no entanto, a moeda norte-americana teve baixa de 1,37%; a Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) também subiu, 0,42%, e atingiu 64.108 pontos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/10/2016 08:00 / atualizado em 22/10/2016 00:47

O dólar fechou em alta de 0,69% nessa sexta-feira (21/10), cotado em R$ 3,161, depois de três pregões seguidos de queda. Na semana, no entanto, a moeda norte-americana teve baixa de 1,37%. Para os especialistas, a divisa seguiu o desempenho do exterior, com ganhos diante das principais moedas.A Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) também subiu, 0,42%, e atingiu 64.108 pontos.

Para Newton Rosa, economista-chefe da SulAmérica Investimentos, no início da manhã, o dólar não seguia a tendência global. “Inicialmente, a expectativa de alta dos juros nos Estados Unidos não repercutiu no país, por conta de repatriação de capital e fluxo de bolsa. À tarde, porém, o dólar entrou no ciclo externo.” A fala do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de San Francisco, John Williams, elevou a expectativa de alta dos juros na maior economia do mundo.

 

Leia mais notícias em Economia

 

 

Já o Ibovespa, principal índice da bolsa paulista, começou o dia com realização de ganhos e chegou a cair 0,72%, mas virou para alta de 0,42% no fechamento. Na semana, a terceira consecutiva de ganhos, o Ibovespa avançou 4%.

Na opinião do economista-chefe da Opus Investimento, José Márcio Camargo, o mercado retrata um “sentimento bom” em relação ao Brasil. “Depois de tudo o que aconteceu, agora há uma chance grande de aprovação das reformas”, disse. As ações ordinárias da Petrobras subiram 1,90%, e as preferenciais,1,18%. “A agência de classificação de risco Moody’s elevou a nota da petroleira”, explicou Camargo. O rating da estatal subiu um degrau, de B3 para B2. Os papéis da mineradora Vale avançaram 4,24% (ON) e 4,02% (PN).

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.