SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Investimento direto no país soma US$ 5,233 bilhões em setembro

No acumulado de 2016 até setembro, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo soma US$ 46,335 bilhões

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/10/2016 11:58

Agência Estado

Os Investimentos Diretos no País (IDP) somaram US$ 5,233 bilhões em setembro, informou nesta terça-feira (25/10) o Banco Central. O resultado ficou abaixo das estimativas apuradas pelo Projeções Broadcast com 20 instituições que iam de US$ 5,800 bilhões a US$ 7,000 bilhões com mediana em US$ 6,500 bilhões. Pelos cálculos do Banco Central, o IDP de setembro indicaria entrada de US$ 6,5 bilhões. A estimativa da autarquia foi feita com base nos números até 22 de setembro, quando o País havia registrado entrada de US$ 4,6 bilhões em recursos externos pela conta do IDP.

No acumulado de 2016 até setembro, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo soma US$ 46,335 bilhões. Já a estimativa do BC para este ano é de US$ 70,0 bilhões de IDP. No acumulado dos últimos 12 meses até setembro deste ano, o saldo de investimento estrangeiro ficou em US$ 73,197 bilhões, o que representa 4,12% do Produto Interno Bruto (PIB).

Investimento em ações

Segundo o BC, o investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou positivo em US$ 113 milhões em setembro. Em igual mês do ano passado, o resultado havia sido positivo em US$ 276 milhões. No acumulado deste ano, o saldo está no azul em US$ 7,535 bilhões. Pelo cálculos do BC, os investidores estrangeiros deixarão saldo positivo de US$ 9,0 bilhões em ações este ano no País.

Leia mais notícias em Economia

Já o saldo de investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País ficou negativo em US$ 3,368 bilhões em setembro e negativo em US$ 18,920 bilhões no acumulado do ano até o mês passado. Para 2016, a estimativa do BC é de saldo negativo de US$ 18,0 bilhões na renda fixa. Em setembro do ano passado, essas aplicações em renda fixa estavam negativas em US$ 3,605 bilhões e, no acumulado de janeiro a setembro de 2015, positivas em US$ 15,114 bilhões. O saldo foi de US$ 16,296 bilhões no ano passado.

Taxa de rolagem
O Banco Central informou que taxa de rolagem de empréstimos de médio e longo prazos captados no exterior ficou em 77% em setembro. Esse patamar significa que não houve captação de valor em quantidade similar para rolar compromissos das empresas no período. O resultado ficou bem abaixo do verificado em setembro do ano passado, quando a taxa havia sido de 205%.

De acordo com os números apresentados pelo BC, a taxa de rolagem do agregado de títulos de longo prazo, antes chamados de "bônus, notes e commercial papers", ficou em 10% em setembro. Em igual mês de 2015 havia sido de 257%. Já o total dos empréstimos diretos atingiram 149% no mês passado ante 175% de setembro do ano anterior.

No acumulado de 2016 até setembro, a taxa de rolagem total ficou em 60%. No agregado, os títulos de longo prazo tiveram taxa de 31% e os empréstimos diretos, de 69% no período. O BC costuma trabalhar com uma previsão de taxa de rolagem de 100% em todos os anos, mas para 2016 sua estimativa é de 60%.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade