SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Deficit de pessoal no setor público passa de 44 mil servidores

Governo suspendeu a realização de certames, e medidas, como o fim do abono permanência e a PEC dos gastos, vão contribuir ainda mais para redução do quadro de pessoal no setor público

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/10/2016 06:00

Vera Batista

Luis Nova/Esp. CB/D.A Press


É comum entre os servidores a afirmação de que não são os funcionários concursados que incham a máquina. Os cargos são criados por lei, com critérios específicos, e a ocupação é a partir de rigorosa seleção em concursos públicos. Nas pautas de todas as categorias — da base ou da elite —, a reivindicação histórica é de aumento do quadro de pessoal. O deficit pode passar de 44 mil servidores.

Leia mais notícias em Economia


No entanto, diante da necessidade de ajuste das contas públicas, o governo, desde 2015, suspendeu os concursos públicos para os três Poderes. O preenchimento de mais de 40 mil vagas foi interrompido. Mais que isso: várias outras medidas, certamente contribuirão para a baixa dos recursos humanos, como o fim do abono permanência e a aprovação da Proposto de Emenda Constitucional (PEC) nº 241, que estabelece o teto dos gastos públicos.


Levantamento do Gran Cursos Online aponta que áreas importantes enfrentam falta de pessoal superior a 44 mil vagas. Apenas no Banco Central, de acordo com os dados, a carência é de 2.283 pessoas. Na Câmara dos Deputados, faltam preencher 417 funções. No Senado, a lacuna chega a 1.090. Na Polícia Federal, 6 mil. Na Polícia Rodoviária Federal, são 3 mil. Na Agência Brasileira de Inteligência (Abin), faltam mil pessoas. Nos Correios, 20 mil. Na Polícia Militar do Distrito Federal, 2 mil. Na Secretaria de Educação do Distrito Federal, 7.911 servidores. E na Câmara Legislativa do DF, 389, para citar alguns casos.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui   

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
jose
jose - 01 de Novembro às 08:36
antes da tão propalada reforma política, devemos tratar da reforma de Estado. Definindo modelos de Gestão Pública que possibilite a concretização dos anseios republicanos: Criamos a República e esquecemos de instalá-la ( João Capiberibe)
 
Jarbas
Jarbas - 31 de Outubro às 14:41
99% dessas vagas serão preenchidas por terceirizados. As empresas pertencentes aos deputados farão um intenso lobby.
 
Wilton
Wilton - 31 de Outubro às 08:01
Qual a base para esse déficit? Falta é gente trabalhando de verdade. Serviço público é cabide de emprego, não produz nada. Produz burocracia e papel. O Brasil, o DF e Brasília não precisam de mais servidores públicos. Vamos botar os que já estão dentro para trabalhar.

publicidade