SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

PEC do Teto já está funcionando muito bem, diz Meirelles à Voz do Brasil

"Imaginem uma família que comece a gastar muito mais do que ganha e que comece a tomar empréstimos cada vez maiores para pagar suas despesas. Foi isso que o governo (passado) fez", afirmou o ministro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/10/2016 21:07

Agência Estado

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta segunda-feira (31/10) que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241 que cria um teto para o crescimento das despesas públicas "já está funcionando bem". Ele voltou a prometer que os investimentos em saúde e educação serão preservados e negou que haja necessidade de aumento de impostos nos próximos anos. 

"Imaginem uma família que comece a gastar muito mais do que ganha e que comece a tomar empréstimos cada vez maiores para pagar suas despesas. Foi isso que o governo (passado) fez. E no momento que a dívida começou a aumentar, o governo passou a pagar não só juros como despesas cada vez maiores", afirmou, em entrevista ao programa A Voz do Brasil. 

O argumento do ministro é que, com o governo anterior tomando cada vez mais recursos da sociedade para arcar com o endividamento, sobraram menos recursos para o consumo e para o investimento.

"Além disso, começou a se criar uma desconfiança sobre a capacidade do governo de sustentar o ritmo de despesas no ritmo que acontecia. Isso diminuiu a criação de emprego e as empresas diminuíram sua atividade. E, como o medo do desemprego aumentou, as pessoas passaram a consumir menos", completou. 
Meirelles destacou que a PEC do Teto vem então para limitar o crescimento dos gastos públicos da mesma maneira que uma família faz quando a despesa cresce mais que os seus rendimentos. "Se busca o equilíbrio. É essa a proposta que já está funcionando muito bem", avaliou. 


Cortes

Questionado pelos apresentadores, Meirelles mais uma vez negou o corte de recursos para a saúde e para a educação. "O que se estabelece agora é um gasto mínimo com saúde e educação e não um máximo. O Executivo e o Congresso podem inclusive aprovar mais recursos para essas áreas. Os investimentos nessas áreas, fundamentais para a sociedade, estão preservados", garantiu. 

Durante a entrevista ao programa de rádio produzido pela estatal EBC, o ministro disse que o Brasil precisa reformar o governo e a economia para voltar a crescer e gerar emprego e renda, além de reduzir a inflação. "É isso que se espera das medidas e das reformas que estão sendo feitas", comentou. 

Para Meirelles, a confiança na economia já está aumentando e existem diversas indicações de que o País voltará a crescer em 2017. "O aumento do emprego é uma consequência inevitável. É um movimento crescente e a população sentirá os seus efeitos", projetou.

Por fim, o ministro disse que o governo não está prevendo o aumento de impostos porque está limitando o crescimento das despesas. "Mais impostos seriam necessários se as despesas continuassem a crescer de forma descontrolada. Quando o governo corta na própria carne, elimina a necessidade de aumentar tributos", concluiu.

Tags: pec teto gastos

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Marcus
Marcus - 01 de Novembro às 11:42
Quem acredita neste (ministro)?

publicidade