SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Mais de 20 milhões de brasileiros estão sem trabalho em todo o Brasil

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/11/2016 15:50 / atualizado em 22/11/2016 15:50

Alessandra Azevedo

Faltou trabalho para 23 milhões de brasileiros no terceiro trimestre deste ano, o que corresponde a 21,2% das pessoas em idade produtiva no país. No mesmo período do ano passado, a taxa de subutilização da mão-de-obra era de 18%, enquanto, no segundo trimestre deste ano, subiu para 20,9%. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
O número leva em conta as pessoas desocupadas (12 milhões), as subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas (4,8 milhões) -- ou seja, as que estão cumprindo uma jornada inferior a 40 horas semanais, sendo que gostariam de atuar em período de tempo maior -- e a força de trabalho potencial (6,1 milhões). No terceiro grupo, entram os trabalhadores que gostariam de trabalhar, mas não procuraram emprego, ou que procuraram sem estar disponíveis. 
No Centro-Oeste, a taxa de subutilização subiu de 7,5% para 10% na comparação com o terceiro trimestre de 2015. Ou seja, faltou trabalho para 1,3 milhão de pessoas na região. 

A quantidade de mão de obra subutilizada no Nordeste é a maior do país: de 31,4%. O rendimento médio dos trabalhadores é outro destaque negativo da região. Enquanto a média nacional é de R$ 2.015 mensais, no Nordeste, é de R$ 1.348. Já as regiões que pagam melhor são Sudeste (R$ 2.325) e Centro-Oeste (R$ 2.288).

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade