SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Jungmann: Gripen tem garantido R$ 1,5 bilhão no Orçamento 2017

"Não faria sentido nem pensar interromper um projeto como esse", afirmou o ministro da Defesa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/11/2016 20:07

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou nesta terça-feira (22/11), que não há nenhuma possibilidade de paralisação do projeto de desenvolvimento do caça Gripen por conta das restrições orçamentárias do País e ainda da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita o Orçamento dos próximos anos ao dos anos anteriores corrigidos pela inflação. "Temos R$ 1,5 bilhão garantidos para que o projeto continue seguindo seu cronograma, que está indo muito bem. O projeto sob o ponto de vista de financiamento foi muito bem formulado, então não vejo maiores riscos, em que pesem nossas restrições fiscais", disse. "Não faria sentido nem pensar interromper um projeto como esse", completou o ministro após a inauguração do Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (Gripen Design Development Network - GDDN), no Complexo Industrial da Embraer, em Gavião Peixoto (SP)

O projeto de US$ 5,4 bilhões envolve o desenvolvimento e a produção de 36 caças da sueca Gripen em parceria com a Embraer, 23 dos quais montados no Brasil, a serem entregues entre 2019 e 2024. Jungmann admitiu que a PEC ainda em tramitação no Congresso, mas com previsão de ser aprovada em dezembro, "cria um teto rígido" para os orçamentos das pastas, mas garantiu: "Eu não perco horas de sono em relação a isso".

O ministro disse ainda já ter reunido o Conselho Militar da Defesa para tratar das restrições orçamentárias e que "já estamos trabalhando com essa nova realidade. Vamos nos readequar e, sobretudo, encontrar maneiras, com criatividade e ousadia, para manter os projetos". "No caso do Gripen, antecipo que não vai ter problemas de descontinuidade."

 

Leia mais em Economia

 

Jungmann admitiu, no entanto, que ainda faltam R$ 200 milhões no Orçamento de 2017 para o projeto KC-390, um cargueiro militar desenvolvido pela Embraer para a Força Aérea Brasileira (FAB) cuja primeira unidade deve ser entregue em 2018.

Saab


O vice-presidente sênior da Área de Negócios de Aeronáutica da Saab, Ulf Nilsson, e o presidente da Embraer Defesa & Segurança, Jackson Schneider, avaliaram nesta terça que as restrições orçamentárias do governo brasileiro não devem impactar no desenvolvimento do projeto do Gripen, caça que será fornecido à FAB, em um contrato de US$ 5,4 bilhões para 36 aeronaves militares. "Os projetos não devem ser prejudicados pelos cortes, já que a entrega será entre 2019 e 2024 e muita coisa vai mudar. E também temos uma solução financeira forte do banco sueco que vai sustentar todo o programa", garantiu Nilsson. "A Embraer tem relação contratual com Saab e a Saab com o governo brasileiro", emendou Schneider.

Ambos participaram da inauguração do Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen no Complexo Industrial da Embraer, em Gavião Peixoto (SP). Além do GDDN, o complexo industrial da Embraer no interior paulista para produtos de defesa e segurança será sede da produção do avião e ainda de ensaios e cerca de mil testes de voos do modelo montado no Brasil.

Construído em 14 meses, o GDDN possui hoje 25 engenheiros brasileiros e 10 suecos e o número de funcionários chegará a 150 em 2017, segundo o diretor geral do programa, Mikael Franzén. O programa de transferência no centro de tecnologia é dividido em 60 projetos-chave, com duração de até 24 meses.

 

Por Agência Estado

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
albertani
albertani - 23 de Novembro às 08:28
dinheiro mal aplicado, não precisamos de caças e sim de saúde, educação, segurança, dignidade e respeito, o Brasil acabou!!!

publicidade