SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Agricultura cai e prejudica resultados do PIB brasileiro no 3º semestre

Dados revelados pelo IBGE demonstram que empresários do país estão menos confiantes com o futuro da economia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/11/2016 18:31

Renato Souza - Esp. para o CB

	Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press


Área forte entre as que definem  o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, a agropecuária recuou 1,4% no terceiro trimestre de 2016. Se comparado ao terceiro trimestre do ano passado, agropecuária apresenta queda de 6%.

Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira (30), algumas culturas destacam a retração na estimativa de produção anual e perda de produtividade. Na agropecuária  foram registradas quedas na produção de itens como o milho (-25,5%), algodão (-16,9%), laranja (-4,7%) e cana de açúcar (-2,0%).

Leia mais notícias em Economia

Mas ao mesmo tempo alguns produtos de grande importância no setor registraram alta na produção, como o Café (11,0%) e a mandioca (3,8%). O otimismo demonstrado pelo governo não se transformou em resultados positivos para o PIB brasileiro. Segundo o IBGE, a formação bruta de capital fixo (bens adquiridos pela industria para produzir outros bens) está em queda, em relação aos índices do trimestre anterior, registrando redução de 3,1% em relação a um aumento de 0,5% do trimestre anterior.

Quando se refere à agroindústria, essa taxa reflete ao índice de insumos, como adubos e agrotóxicos e máquinas que foram adquiridas pelas empresas. Quanto menor é a quantidade desses itens adquiridos pelos empresários, menor é a confiança deles no futuro. Para se ter lucro no mercado, é fundamental saber prever qual será a demanda futura, para não ser pego de surpresa e deixar os concorrentes largarem na frente.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade