Defesa, Transportes e Educação são as mais atingidas por corte no Orçamento

O corte de R$ 41,2 bilhões é a garantia para que a União consiga cumprir a meta fiscal de 2017 prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/03/2017 17:59 / atualizado em 31/03/2017 20:58

Os ministérios da Defesa, dos Transportes e da Educação foram os mais atingidos pelo contingenciamento de R$ 42,1 bilhões anunciado pelos ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Dyogo Oliveira (Planejamento) na última quarta-feira.
 

O decreto com a restrição orçamentária foi publicado ontem à noite em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). Mas o detalhamento do corte foi feito na tarde desta sexta-feira (31/03) pelo Ministério do Planejamento.

Essas três pastas juntas respondem por 35,8% do corte. A Defesa lidera a lista do corte vai ter que enxugar R$ 5,7 bilhões das despesas. Em segundo lugar ficou a pasta dos Transportes, Portos e Aviação Civil, com redução de R$ 5,1 bilhões. A Educação terá que enxugar R$ 4,3 bilhões. Proporcionalmente, o Turismo foi uma das pastas que mais teve corte, apesar de o valor ser baixo. O órgão vai ter que enxugar 68% da previsão orçamentária de R$ 473,2 millhões. Com isso, restarão apenas R$ 151,5 milhões.

Esse corte de R$ 42,1 bilhões é a garantia para que a União consiga cumprir a meta fiscal de 2017 prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que permite um rombo nas contas do governo central de até R$ 139 bilhões.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.