SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Agentes penitenciários tentam entrar na Câmara por um prédio anexo

O acesso aos anexos está completamente bloqueado. Servidores da própria Câmara chegaram a ser barrados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/05/2017 13:58 / atualizado em 09/05/2017 14:38

Minervino Junior/CB/D.A Press


Agente penitenciários tentam entrar neste momento na Câmara dos Deputados por meio do anexo 4, prédio onde ficam os gabinetes dos parlamentares. O edifício tem um acesso subterrâneo para o anexo 2, sede das comissões. Os agentes gritam "libera, libera". Policiais legislativos estão no local com escudos, capacetes e máscaras de gás tentando conter a manifestação.

Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) também participam do protesto. Apenas uma grade separa os agentes do acesso ao prédio A grade é mais frágil do que a que foi rompida na semana passada pelos agentes penitenciários que invadiram a Câmara.



O acesso aos anexos está completamente bloqueado. Servidores da própria Câmara chegaram a ser barrados, mas depois eles tiveram a passagem liberada mediante a apresentação de crachá.

Os agentes penitenciários protestam contra a retirada do destaque que poderia garantir aposentadoria diferenciada para a categoria, com idade mínima de 55 anos. Ironicamente, a Polícia Legislativa, que tenta conter a manifestação, foi agraciada com o benefício.
 
 

Um acordo do governo vai levar a votação da aposentadoria especial dos agentes penitenciários para o plenário da Câmara, mas a categoria considera esse acordo prejudicial a eles. Isso porque a quantidade de votos necessários é maior e mais difícil de se conseguir.

Ao saber da manifestação, o presidente da comissão especial, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), resignou-se. "Agora é só torcer que não façam bobagem", disse.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.