União leiloa 25 imóveis residenciais em Brasília nesta terça-feira

Podem participar da concorrência tanto pessoas físicas quanto empresas, desde que comprovem ter depositado a caução em favor do Tesouro Nacional

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/06/2017 06:01 / atualizado em 20/06/2017 07:57

Será hoje o leilão de imóveis residenciais anunciado pelo governo federal em edital publicado em 16 de maio. O número de visitas, cujo prazo terminou ontem, chegou a 300, segundo informou ao Correio o Ministério do Planejamento. Cada imóvel foi visto, em média, por 12 interessados, o que sinaliza possibilidade de boa demanda.


Leia mais notícias em Economia

O Ministério pretende lançar outros editais futuramente, com imóveis residenciais, comerciais e terrenos, não só no Distro Federal. Mas ainda não definiu quantos mais tentará vender nem em que prazo.

A Secretaria de Patrimônio da União colocou à venda, nesse edital de concorrência pública já lançado, 24 apartamentos e uma casa. Todos ficam em Brasília e estão desocupados. As propostas de compra serão recebidas todas hoje, no prédio do ministério, no Bloco K da Esplanada, por uma comissão de licitação, das 13h às 15h, junto com a documentação de habilitação dos pretendentes.

Podem participar da concorrência tanto pessoas físicas quanto empresas, desde que comprovem ter depositado a caução em favor do Tesouro Nacional, de 5% do valor mínimo previsto no edital. Cada interessado pode disputar quantas unidades quiser. Mas só pode fazer uma única proposta de preço para cada imóvel.

Levará quem apresentar a maior oferta. A disputa será feita numa única rodada, pois as propostas serão entregues em envelopes fechados. O resultado sai hoje mesmo, com abertura dos envelopes a partir das 15h.

Os apartamentos, com dois a quatro quartos, ficam nas asas Sul e Norte. O menor tem área de 75,06 metros quadrados e o maior de 134,46m². Os preços mínimos variam de R$ 506 mil (relativo a um apartamento de 75,12 m² na SQN 412) a R$ 1,019 milhão (menor valor para o maior da lista, localizado na SQN 304). A única casa anunciada no edital tem 795 m² de área e fica na QL 12 do Lago Sul. O preço mínimo foi fixado, neste caso, em R$ 6, 645 milhões.

Se todas as unidades colocadas à venda neste primeiro edital forem arrematadas, a União vai arrecadar pelo menos R$ 28,086 milhões, considerando os preços mínimos.

O governo não vai parcelar o pagamento. Os compradores dos imóveis terão 45 dias corridos de prazo para pagar o valor integral da diferença em relação ao que já depositaram de caução. Mas eles podem buscar financiamento no sistema financeiro, como prevê o edital.

Além de arrecadar, com o plano de comercialização, o ministério quer reduzir os gastos da União com bens que estão desocupados e ao mesmo tempo não podem ser de uso público.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.